dar conta de…

Este 1.º Ciclo de Conferências – Tratamento de Feridas e Viabilidade Tecidular, ocorre no final do 1º Curso de Pós Graduação em Tratamento de Feridas e Viabilidade Tecidular.

Para mais informações:
o blog do evento,
o flyer da conferência ou
o site da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal.

Anúncios

citando

“Tudo na natureza age segundo leis. Só um ser racional tem a capacidade de agir segundo a representação das leis, isto é, segundo princípios, ou: só ele tem uma vontade.
(…) a vontade é a faculdade de escolher só aquilo que a razão, independentemente da inclinação, reconhece como praticamente necessário, quer dizer, bom”

Kant
Fundamentação da metafísica dos costumes

(de) blogues

mais uns blogues, para a coluna, aqui ao lado direito:

——Polikê
Políticas e estratégias de desenvolvimento da Educação Terciária, Ciência e Tecnologia, em especial, as do subsistema politécnico
…..
Por este andar vou acabar por concluir que Portugal não precisa de um ministro destas pastas, precisa é de um ou mais arcanjos/santos de topo hieráquico da carreira celestial.Quanto ao programa, não mereceu a pena a noitada, só serviu para me irritar muito e com todos eles menos, é claro, com o Senhor Professor Adriano Moreira – a quem invejo a paciência para as trapalhices e aselhices, e com os alunos – com quem partilhei as dúvidas e incertezas com que, certamente, todos ainda ficámos.
Falando nisso, hoje, fico por aqui! Antes que saia, por aí, fumando o meu cachimbo de palha (pé de guerra de algumas tribos indígenas – Piauí e Paraíba) e, por favor, escondam-me as facas!.


——-Bocados de noz

Na saúde a espera é uma convulsão de sentimentos, é o acumular de forças para se desfazer um nó, um nó que se vive e que nos puxa para pegar numa das pontas e o desenlear. Depois da espera vem a calmaria, ou o tumulto, que nos assola a alma e nos faz sentir a vida. A vida com um intenso sabor, por vezes amargo, outras doce. Desejo que repouses na doçura, hoje só por hoje…Que amanhã agarres o nó e o desates, numa dança frenética que te faça sentir a vida no seu melhor…e sorrir.

——-B2OB Barriers and Opportunities to Organizational Blogging

A iniciativa Os Melhores Blogs 2006 ajuda a tornar visiveis algumas pessoas que estimo muito e que dão voz a blogs que fazem parte do meu espaço diversificado e alargado de conversas, tantas vezes negligenciados no quotidiano temático do B2OB.
Depois de consultadas as regras, aqui ficam as minhas nomeações (com pena de não poder aqui colocar ligações para todos os blogs que gostaria, onde se encontram alguns em regime de acesso restrito… pode ser que para o ano resolvam torná-los públicos 😉
Melhor blog feminino.. continuar a ler

perda de anteontem














Voz numa pedra

Não adoro o passado
não sou três vezes mestre
não combinei nada com as furnas
não é para isso que eu cá ando
(…)
Não digo como o outro: sei que não sei nada
sei muito bem que soube sempre umas coisas
que isso pesa
que lanço os turbilhões e vejo o arco íris
acreditando ser ele o agente supremo
do coração do mundo
(…)
Passa-me então aquele canivete
porque há imenso que começar a podar
passa não me olhas como se olha um bruxo
detentor do milagre da verdade
a machadada e o propósito de não sacrificar-se não construirão ao sol coisa nenhuma
nada está escrito afinal

Mário Cesariny
falecido a 26 Novembro de 2006

telegraficamente

na sequência do Prós & Contras, só apetece ser breve:
– Meio estranho ouvir pessoalizar («você é da psicologia, eu sei, não é das letras») a meio de um argumento semântico.
– Desconcertante, um ministro que se queixa … não ouvi bem, decerto,… de leis erradas que existem, na sua esfera de acção – OK, estou de pé atrás com a preferência pela Ciência e Tecnologia.
– A coragem de Nóvoa, ressalta, evidente. E aquele tom meio risonho… «demagógico, eu?!!»
Leviandade, ficou-me a trepidar no ouvido. Já a ficção e a ilusão tinham ficado.
Ademais, tinha razão quem afirma que o problema não são as ideias nem o diagnóstico, com as quais até podemos estar todos de acordo. Faltam políticas e instrumentos, assim como tempo. E, como diz MJM, o tempo preferido é o verbo no futuro.
– Finalmente, a competição. Não sei bem como enquadrar as ideias de competição (pode ser também competitividade) num sistema aparentemente afastado do reconhecimento de mérito. Devo ser eu…

Post-scriptum – vale uma ida aos apontamentos do JVC e aos comentários.