do dia : dos celtas, iberos, lusitanos… das origens

Na mitologia céltica, hoje, 6 de Agosto, é Dia do Festival de Tan Hill, em honra do fogo sagrado, chamado Teinne ou Tan.
Enquanto povo identificável, os celtas já não existem mas remanesce a influência nos que se afirmam “nações celtas” –
a Bretanha (região da França), a Cornualha (Inglaterra), a Irlanda, a Ilha de Man (Grã-Bretanha), a Escócia e o País de Gales. Em quatro (Bretanha, Irlanda, Escócia, Gales) existem áreas onde uma língua céltica ainda é usada pela comunidade.

Na península Ibérica, a Galiza e Astúrias são as áreas mais frequentemente destacadas pela influência da cultura celta. Como a Bretanha, a Galiza foi parcialmente colonizada pelos Bretões durante o período pós-romano. Todavia, nem na Galiza nem nas Astúrias se constata a sobrevivência de uma linguagem céltica, o que significa que o “teste” mais comum de celticidade não se aplica. A base para a origem celta é “justificada” pelas semelhanças na música, dança e folclore.
A Cantábria e Portugal (“Lusitania”) são ocasionalmente sugeridos como outras regiões célticas (aliás, o ano passado o norte de Portugal fazia parte do mapa do campeonato intercéltico…).

A nossa origem étnica é essencialmente uma mistura de tribos celtas e iberos (chamados celtiberos, como os lusitanos, os Calaicos ou Gallaeci e os Cónios, entre outras menos significativas). Os celtiberos – como a palavra afirma – terão resultado da junção da cultura do povo celta e do povo nativo da Península Ibérica (iberos, portanto).

Deste povo desenvolveram-se, na parte ocidental da Península, os Lusitanos, tribo que vivia entre os rios Douro e Tejo – a Lusitânia, «a mais poderosa das nações ibéricas e a que entre todas por mais tempo deteve as armas dos romanos», afirma Estrabão.
Lusitanos e calaicos eram aparentados, e mais tarde, o nome lusitano foi usado para descrever os Galaicos (povo celtibérico das montanhas a norte do Rio Douro) e outras tribos, devido à notabilidade deste povo em lutar contra o domínio romano, e também porque todos eram cultural e etnicamente muito semelhantes.
A romanização chegou depois de século e meio de lutas ferozes e de derrotas. É conhecida a expressão de Júlio César (Caio)
Há nos confins da Ibéria, um povo que nem se governa nem se deixa governar“.

A figura mais notável entre os Lusitanos foi Viriato(180 a.C. – 139 a.C.), pastor e caçador dos Montes Herminios (Serra da Estrela), um dos líderes no combate aos romanos.
(A este propósito, o romance notável de João Aguiar, A Voz dos Deuses e de quem apreciei igualmente «A Hora de Sertório»).

Existem muitas divergências nesta área, particularmente no que respeita às origens históricas e administractivas – portanto diria que parece haver um entendimento muito abrangente da Lusitânia, como um conjunto vastíssimo e territorial de muitas tribos “lusitani”. Falar de influências na nossa origem exigiria apontar, claramente, os gregos e fenicio-cartagineses, os romanos, depois as invasões bárbaras (os visigodos e os suevos, os vândalos e os alanos) e a muçulmana (os mouros, predominantemente berbéres). Da terra de Portucalis, do território entre Douro e Lima ao reconquistar que veio seguindo rios, do Minho ao Mondego, ao Tejo, ao Sado, ao Guadiana.
A ler Formação de Portugal – um problema controverso

(Imagem: Antiquorum Hispaniae Episcopatuum
Geographica Descriptio. Autore N. Sanson. Amstelodami, Apad I. Covens & C. Mortier
Mapa de Peninsula Ibérica no tempo do Imperio Romano. Colorido à mão.)

Anúncios

39 thoughts on “do dia : dos celtas, iberos, lusitanos… das origens

  1. Um colega antropólogo chamou-me a atenção recentemente para um facto curioso: afirma-se que o norte do país tem influência Celta mas não se conhecem, para além de algumas influências etnográficas e alguns cultos passados, achados arqueológicos que confirmem a presença céltica na nossa região e, portanto, no nosso país.
    Sempre tive essa identificação com o mundo celta mas a falta de consistência desse passado proclamado dá que pensar…

    Gostar

  2. Mau… (sorriso).
    Não foi Braga fundada pelos celtas?
    Ou melhor, pelos Bracaros, outro nome atribuido aos galo-celtas?
    Bracarenses não vem daí? 🙂
    O ínicio da cidade não terá sido uma citânia no alto do monte, circundada por castros que se destinavam à sua protecção?
    Plínio assim o afirma.

    E por falar em cultura castreja…
    Vale a pena ir «buscar» a Citânia de Briteiros e os trabalhos de Morais Sarmento, o arqueólogo/etnólogo.

    “Se a pré-celticidade dos Lusitanos, proclamada por Martins
    Sarmento, quer os Lígures fossem ou não os seus ascendentes, é hoje um
    ponto assente, não se pode contudo negar a marca indelével que a Cultura céltica deixou impressa na Cultura dos Lusitanos, e que nos é revelada por exemplo no carácter e na tipologia de muitos dos vestígios arqueológicos dos
    nossos velhos castros e citânias pré-romanas.”
    http://www.csarmento.uminho.pt/docs/sms/
    fms_biografia/Biografia%20de%20FMSarmento%20_MC_.pdf

    Fui à procura, da arqueologia.
    Estela em Bragança, com onomástica celta (p. 89 das Epígrafes) e marco de granito (p. 91).
    http://www.ipa.min-cultura.pt/
    pubs/TA/folder/24/042.pdf
    Pouco, pois sim.
    Mas não se tratará apenas de vestígios materiais – muitos oitocentistas tiveram a paixão da Etnografia e das recolhas de folclore e costumes, convictos de que tal tinha importância para esclarecer o passado. Por exemplo, os cultos religiosos – e de influência céltica, tivemos Endovellico (de quem ficaram estátuas….) e Ataegina.

    Provavelmente estou influenciada por Teófilo, Oliv Martins e Consiglieri Pedroso… e pode acontecer que a identificação com passado celta, bom, eu também a tenha :).
    Aprecio a tese de Oliv Martins do céltico como essencial em nós. E a ligação ao Encoberto, pois claro.
    Céltico ou celtizado 🙂

    Gostar

  3. “A Cantábria e Portugal (“Lusitania”) são ocasionalmente sugeridos como outras regiões célticas (aliás, o ano passado o norte de Portugal fazia parte do mapa do campeonato intercéltico…).”

    Cuidado. O Norte de Portugal, etnica e culturalmente é Galaico, faz parte da Galiza ou melhor Gallaecia e nunca foi Lusitano.
    Dizes que mais tarde se chamou lusitano aos Galaicos mas a verdade é que eles são Galaicos e não sao lusitanos.
    Etnicamente sao diferentes dos lusitanos. Ha genes que so ha nos Galaicos. A fisionomia dos galaicos tambem é visivel e é diferente dos Lusitanos, que tem mais aspecto mediterranico e mouro (este por causa da invasao muçulmana).
    Os Galaicos tambem tem muito mais mistura Germanica devido ao grande numero de Suevos que veio para a Gallaecia. Assim o numero de olhos azuis e cabelos claros é de 18% no norte de Portugal (antiga Gallaecia Bracarense) e de apenas 1% na Lusitania.

    Cuidado para nao confundirmos Lusitania com Portugal.
    Portugal é um conjunto de naçoes como Espanha. A norte tem a naçao Galaica até ao Douro. Tem outra naçao Galaica do Douro ao Mondego, fruto da reconquista e forte repovoamento de Galaicos apos a invasao muçulmana e nos anos que se seguiram. Tem uma naçao Lusitana e ate uma naçao Algarvia com uma componente etnica bastante diferente das outras 2.

    Em Portugal a unica regiao verdadeiramente Celta é o Norte, antiga Gallaecia Bracarense.
    Poucas vezes é considerada Celta, porque ao contrario da sua irmã Galiza, o estado Português destruiu bastante a identidade Galaica no Norte.
    Reparem que o proprio povo pensa que é Lusitano e nem tem a minima ideia que é Galaico.
    As tradições, musicas e outras marcas Celtas que havia tanto na Galiza como no Norte de Portugal foram desaparecendo com o tempo.
    Hoje o Norte deixa a sua musica Celta para reconhecer o Fado como a sua musica, enfim propaganda portuguesista lusitanista.
    A verdade é que se o Norte fosse independente e a Galiza também, então a sua identidade Celta e Galaica seria muito melhor preservada.
    Mas claro, infelizmente nos dias que vivemos, não se respeitam as nações naturais. Queremos é defender os países imperialistas constituidos de varias naçoes, como Espanha e Portugal.

    Gostar

  4. De facto, como foi referido, o Norte de Portugal não tem nada de Lusitano. As origens dos povos de entre douro e minho sao puramente celticas uma vez que esta regiao era a mesma do que a da Corunha e Vigo, cidades reconhecidamente celtas. A Gallaecia, como era chamada, estava dividida em 2 pelos romanos.. A Gallaecia Bracari e a Lucense. Basta ir ao Norte e verificar a enorme quantidade de Castros e Citanias para perceber que o povo que aqui vivia era muito diferente dos vivendo a sul. E lamentavel que as crianças Minhotas aprendam na escola que em Portugal viviam os Lusitanos uma vez que a primeira regiao demPortugal foi o Norte e este era Celta. Ironicamente, a regiao que deu origem a Portugal ve a sua identidade ser privada por lisboa. No entanto, mesmo que as pessoas nao estejam conscientes disso, as marcas celtas existem na nossa cultura. Basta ver as dançarinas folcloricas minhotas para perceber que esta ostentação do Ouro e as danças circulares tem uma estranha coincidencia com os habitos celtas que usavam trajes de cores aguerridos, exibiam o ouro e dançavam em circulos celebrando a vida e os ciclos..

    Gostar

  5. Bem, é melhor dizer alguma coisa antes que alguém se empolgue mais e venha afirmar a pés juntos que os “Galaicos” são Escandinavos e os “Lusitanos” no fundo sub.sarianos. Esta nova mitomania que se vem a criar em algumas mentes tem o seu interesse sociológico mas…

    “Cuidado. O Norte de Portugal, etnica e culturalmente é Galaico, faz parte da Galiza ou melhor Gallaecia e nunca foi Lusitano.”

    Até aqui nada de mais, mas começa a adivinhar-se (principalmente para quem conhece o género) que há quem consiga, com quase 3 milénios de distância, distinguir cirurgicamente Galaicos e Lusitanos quando já na altura – a julgar pelos documentos coevos – a divisão entre os dois era ou desconhecida ou extremamente difícil de definir. As proposta de classificação linguística incluem ramos Galaico-Lusitanos, os estudos de religiosidade apresentam uma continuidade nas regiões e os próprios Romanos tinham muitas dúvidas sobre as diferenças entre estes e os Celticii, Vetones, etc.

    “Etnicamente sao diferentes dos lusitanos. Ha genes que so ha nos Galaicos”

    Pois. “Étnicamente” há genes que só há nos Portugueses do Minho ao Algarve. Também há genes que só se encontram na Ibéria. E assim sucessivamente. Para mais, existe uma diferença entre “genes” e sequências de STR, mas adiante.


    “A fisionomia dos galaicos tambem é visivel e é diferente dos Lusitanos, que tem mais aspecto mediterranico e mouro (este por causa da invasao muçulmana).”

    E começa o chorrilho de disparates. Agora os Lusitanos são “mouros” e os Galaicos têm um aspecto “diferente”. Sem sequer trazer à baila o Y-DBA berbére – nem acho importante – o ridículo deste comentário pseudo-histórico chega a ser completamente contraproducente pois dá uma ajuda à associação derivada da hegemonia anglosaxónica entre ser moreno e ser árabe – mas esqueço-me que os “Galaicos” são “diferentes”, praticamente dinamarqueses (como o Jesualdo Ferreira, que é mais Europeu que os que partilham dessa noção ridícula derivada de um nordicismo incipiente)! O Trás-os-Montes que conheço deve ser uma farsa, bem como os dados existentes que permitem uma relação entre os portadores de R1b e essa fisionomia. Na ânsia de querem cuspir para cima dos outros há quem saia bastante sujo ao esquecer-se que no mundo real as pessoas não são como no seu mundo idealizado.


    “Portugal é um conjunto de naçoes como Espanha. A norte tem a naçao Galaica até ao Douro. Tem outra naçao Galaica do Douro ao Mondego, fruto da reconquista e forte repovoamento de Galaicos apos a invasao muçulmana e nos anos que se seguiram. Tem uma naçao Lusitana e ate uma naçao Algarvia com uma componente etnica bastante diferente das outras 2.”

    Revisionismo histórico – e do mau – com praticamente 2000 de atraso. Brincar aos mapas e ás nações deve ser interessante, faz lembrar o Risco, mas aconselhava a não passar daí, porque estas explicações parecem saídas de um livro de recolha de asneiras de alunos do primeiro ciclo.


    “Em Portugal a unica regiao verdadeiramente Celta é o Norte, antiga Gallaecia Bracarense.”

    Em Portugal a região que recebeu povos que são de certeza deivados do período de Lá Téne foi o Alentejo, e na Ibéria a região dos Celtiberos. Mas como o Celtismo pegou durante o período romântico na Galiza – associado ao movimento autonomista – dá jeito escolher apenas as fontes que interessam para se poder tear a história da carochinha com o fim já determinado à prióri. Não que não sejam Celtas, ou influenciados pelos Celtas: é para mim óbvio que existe essa influência bem patente em vários níveis, mas essa também existe em várias regiões da Ibéria, e não é nem de perto nem de longe uma marca que faz um fosso entre as populações “Galaicas” e “Lusitanas” (?!).

    “Poucas vezes é considerada Celta, porque ao contrario da sua irmã Galiza, o estado Português destruiu bastante a identidade Galaica no Norte.”

    Resta alertar os leitores para que neste tipo de discurso o “estado Português” refere-se ao país desde o século IX (e oficialmente desde o século XII), altura em que começou a “destruír” a identidade Galaica. Convém fazer o esclarecimento não vá alguém pensar que o que foi dito é um parágrafo sobre o centralismo moderno.


    “Reparem que o proprio povo pensa que é Lusitano e nem tem a minima ideia que é Galaico.”

    Isto porque o “povo” usa a expressão na sua acepção poética. É que ninguém usa “Lusitano” para se referir a um povo de fronteiras difusas da proto-história peninsular. Só quem, como já disse, quer usar uma série de “factos” avulso como suporte para as suas aspirações redutoras é que vive no mundo onde as fronteiras de populações proto-históricas – ainda para mais de uma mesma origem – são sacro-santas. Para além disso subsiste a tal relação extremamente próxima entre Lusitanis e Galaicos que não dá jeito nenhum para quem quer á viva força inventar etnias.


    “As tradições, musicas e outras marcas Celtas que havia tanto na Galiza como no Norte de Portugal foram desaparecendo com o tempo.”

    Umas desaparecem, outras persistem, assim como noutras regiões. O importante para nós que estamos vivos é fazer a recolha e continuá-las de forma a assegurar que vivam, pois a tradição é a memória dos povos.


    “Hoje o Norte deixa a sua musica Celta para reconhecer o Fado como a sua musica, enfim propaganda portuguesista lusitanista.”

    Para já a música do Norte – e da Galiza – não é “Celta” apenas porque se decide que sim, existem origiens várias e uma sequência de evoluções e criações.Sem prejuízo de influências que julgo importantes, claro está, até matriciais, e digo-o à vontade porque toco gaita (galega e mirandesa). Gaita essa que foi tocada também em todo o país na época medieval e da qual se conhecem tocadores no príncipio do xéculo XX a Sul de Setúbal e Évora. Há quem não saiba mas a primeira menção de uma gaita no Novo Mundo foi na crónica do Achamento do Brasil.Se calhar isto devido á propaganda galaicista dos sećulos anteriores, se for para usar o mesmo anacronismo estéril.

    O Fado é como outras formas musicais que se propagam mais ou menos conforme os gostos e a divulgação. Houve aqui uma componente importante de “propaganda” no século XX, sem dúvida, mas não é por causa dele que se deixa de tocar flauta de tamborileiro.


    “A verdade é que se o Norte fosse independente e a Galiza também, então a sua identidade Celta e Galaica seria muito melhor preservada.”

    Ahh, sim, pois. Só não posso concordar porque recuso-me a ver a minha especificidade transmontana diluída em hegemonias de Bracarensis.


    “Queremos é defender os países imperialistas constituidos de varias naçoes, como Espanha e Portugal.”

    Querer comparar Espanha e Portugal em termos de “nações” mostra bem o mundo alternativo em que se movem certas pessoas, independentemente de tudo o resto. É querer empolar duas borbulhas para se dizer que tal como a vizinha também se têm mamas.


    “De facto, como foi referido, o Norte de Portugal não tem nada de Lusitano. As origens dos povos de entre douro e minho sao puramente celticas uma vez que esta regiao era a mesma do que a da Corunha e Vigo, cidades reconhecidamente celtas”

    Reconhecidamente? Por quem? “Puramente célticas”? Mas o que é que andam a tomar? A questão Céltica é tão complexa que nem se sabe ao certo se existiram invasões “indo-europeias” ou se existe continuidade paleolítica, mas para certos iluminados é tudo “puramentes” e “reconhecidamentes”.


    “A Gallaecia Bracari e a Lucense. Basta ir ao Norte e verificar a enorme quantidade de Castros e Citanias para perceber que o povo que aqui vivia era muito diferente dos vivendo a sul.”

    Ui! Já se detectam diferenças profundas entre os povos pela arquitectura das citânias. Isto deve ser Arqueomisticísmo!


    “E lamentavel que as crianças Minhotas aprendam na escola que em Portugal viviam os Lusitanos uma vez que a primeira regiao demPortugal foi o Norte e este era Celta.”

    Mas em Portugal viviam os Lusitanos. E os Galaecii. E os Celticii. E os Conii. E entre estes os dois primeiros eram os mais dificeis de distinguir. Não confundir povos da proto-história com associações românticas (Lusitanos == Portuguese, Gauleses == Franceses, etc) que são acima de tudo simbólicas.

    “Ironicamente, a regiao que deu origem a Portugal ve a sua identidade ser privada por lisboa.”

    Reconheço a ironia, mas também reconheço a ironia de serem dessa região os que aparentemente querem desfazer a obra. Seja como for o debate sobre o centralismo é diferente deste, e já agora por “Lisboa” era bom ir ver a origem dos governantes… pode surpreender.

    “No entanto, mesmo que as pessoas nao estejam conscientes disso, as marcas celtas existem na nossa cultura.”

    Creio que nos últimos 20 anos se fez mais nesse sentido do que alguma vez antes. Acompanhei vários dos esforços de recolha de perto. A gaita, por exemplo, recuperou imenso e existe uma Associação e muitos mais gaiteiros do que há 30 anos. Seja como for, e concordando com a preocupação com a divulgação cultural, parece que existe a tentação de fazer com que exista uma “conspiração” de “Lisboa” para “esconder” as marcas “Celtas”, asiim uma coisa digna do Código Da Vinci. A verdade é infelizmente mais prosaica: se já começa a ser difícil não ver samba e fórró nos eventos ditos tradicionais, quanto mais o resto…


    “Basta ver as dançarinas folcloricas minhotas para perceber que esta ostentação do Ouro e as danças circulares tem uma estranha coincidencia com os habitos celtas que usavam trajes de cores aguerridos, exibiam o ouro e dançavam em circulos celebrando a vida e os ciclos..”

    Talvez excessivamente romântico, mas ainda assim paralelos interessantes. Acrescentaria que a questão do ouro pode ser relacionada com a indústria de filigrana e a ourivesaria da Idade do Ferro II da cultura castreja.

    Gostar

  6. Os povos Indo-Europeus celtas propriamente ditos antes dos Romanos, foram os celticos da cultura de la Tene que habitaram o sul de Portugal do rio Tejo até ao Algarve! Lacobriga Lagos mirobriga Santiago do Cacém seteobriga Setúbal. Os Lusitanos e Galaicos eram Indo-Europeus Proto-celtas.

    Gostar

  7. Portugal sempre foi homogéneo etnicamente formado por várias tribos mas todas elas ditas indo-europeias, desde o norte (calaicos) centro(lusitanos-celtiberos) até ao sul com os celtici e os cónios protoceltas.

    Gostar

  8. Bem.. a meu ver ja la vao muitos anos e ninguem sabe bem de onde veio.. ou a que cultura antiga pertenceu.. ade aver “celtas” com nacionalidade brasileira a viver no brasil, e ade aver nativos africanos com nacionalidade irlandesa a viver na irlanda estamos todos por todo lado o mais comcreto que podemos xegar axo que e saber que se formos pretos de certe naos eremos descendentes de vikings e se formos loiros de olhos azuis de certo nao seremos indios aztecas lol agr cuanto ao resto.. hum.. ex: vivo na coruña sou loiro de olhos verdes como sei se sou descendente de algum emigrante russo
    ou se de celtas, ou suevos, ou visigodos, ou romano.. 😛

    Gostar

  9. bem… sem querer aquecer muito mais a discussão, o único facto que temos de diferenças existentes nos povos “indo-europeus” na zona ocidental ibérica (como possivelmente no resto), foi a distinção vincadamente feita pelos romanos aquando a sua invasão e “romanização”. Ou esses factos não aconteceram e os documentos legados pelos “autores” da época não passam de apócrifos?

    Gostar

  10. …e de facto impressionante, como nos dias de hoje.., chamado sec xx ainda haja estes tipo de segregacao racial, povos de toda peninsula sao praticamente os mesmos por todas as razoes culturais.

    Gostar

  11. ..e para mais e facto historico e moderno que a raca humana esta em periodo de globalizacao, mas sempre esteve desde o inicio que somos todos iguais embora por razoes climatericas nos diferenciemos mas culturalmente toda a raca humana teve origem na mesma educao desde os mitos a religiao contudo diferentes mas semelhantes, linguagem, escrita, musical etc.., relembrando que portugal ou mesmo espanha e ate o pais basco que teria ate mais razoes culturais para tal segregacao cultural e etenica e porque a galiza desejar querer uma idependecia racial Nao se entende.., mas e sempre bom argumentar a historia mas Nao a romantizacao dela em seu proprio beneficio ou de outra forma pode-mos considerar uma religiao…

    Gostar

  12. Por muito que não gostem de contra correntes, a verdade é que se as pessoas do Minho são ridicularizadas pela forma de falar e até de estar é justamente porque são oprimidas pela cultura dominante sul-lisboeta. Por isso está mais que na altura de demonstrar e afirmar as origens Celtas e Suevas que nos destinguem a nós Minhotos e principalmente a nós Bracarenses!

    Gostar

  13. Não Portugal não é homogeneo, só um cego é que vê isso! Só um surdo é que não ouve o desprezo com que o imperialismo lisboeta maltrata o falar do norte! Sim no Minho somos Celtas, com a Citania de Briteiros como origem e com Deusas pagãs apagadas pelo catolicismo, como na fonte do idolo! Ai de quem em Portugal não siga a cultura sulista e arabe, que em Braga só destruriram! Sim viva a diferença e vivam as nossas origens Celtas!

    Gostar

  14. Oh José Roque, eu sou de Chaves (onde nasci) e essa treta do imperialismo lisboeta é das coisas mais ridiculas que alguma vez já ouvi, caso você não saiba quem são os lisboetas, é que os lisboetas são na sua maioria gente vinda das beiras, do minho, de depois do alentejo…
    E homogeneidade racial existe, os portugueses no norte e do sul são da mesma raça – caucasiana, a lingua é mesma, ao contrário do que se sucede em Espanha (onde existe o euskadi o catalão etc.), a base identitária é comum – portuguesa.
    Já agora, espero que saiba que todo o ocidente da pensinsula ibérica foi invadido por Celtas, incluíndo o algarve e alentejo pelos famosos Celtici.

    http://en.wikipedia.org/wiki/Celtici

    Gostar

  15. A questão não é “arianizar” as origens Celtas de Braga e do Minho, a questão é assumir a verdade, porque elas tem sido sempre negadas. Um povo que não conheça as suas origens é um povo perdido e sem identidade. Só agora começamos a entender e a respeitar muitos aspectos em nós, como o não “tocarmos” fado, ou não sentirmos o apelo do sul que muitos portugueses exaltam. Tambem não somos mediterrâneos e agora começamos a encontrar o caminho das origens!

    Gostar

  16. Só para referir que o artigo de Brigantia foi das melhores textos sobre a nossa cultura que tenho lido.

    Gostar

  17. moro no sul do brasil, numa região basicamente formado por imigrantes do norte da italia, alemães, poloneses e austriacos, sou filho de portugueses, para eles que tem sobrenome espanhol e portugues, são supostos negros, é absurdo até porque eu sou branco e minha filha tem olhos azuis, absurdo mais é realidade.

    Liked by 1 person

  18. REALMENTE INFELIZMENTE O COMENTÁRIO ACIMA É VERDADEIRO, MORO NO SUL DO BRASIL, E QUEM TEM SOBRENOME PORTUGÛES OU ESPANHOL, SÃO CONDISERADOS SUPOSTOS NEGROS, MESMO SENDO BRANCOS(INDEPENDENTE DE SER LATINO AMERICANO OU IBERICO EUROPEU), ACHO QUE TERIA QUE VERIFICAR, POIS SÃO DISCRIMANOS SÓ PELO SOBRENOME MESMO QUE TENHA PELA MUITA CLARA E OLHOS AZUIS,O QUE A EMBAIXADA PORTUGUESA NO BRASIL DEVERIA VERIFICAR ESTA SITUAÇÃO, INCLUSIVE ESSE PENSAMENTO É DOS PROFESSORES(PRINCIPALMENTE NA SERRA GAUCHA), POIS COMO FOI DITO PELO AMIGOACIMA, É UMA REGIÃO COM FORTE IMIGRAÇÃO GERMANICA E ESLAVA, ALÉM DO PESSOAL NORTE DA ITALIA.(SOU FILHO DE UMA ESPANHOLA E UM PORTUGUES).

    Liked by 1 person

  19. De acordo com os comentários de Paulo Pereira e JOSé LOPESILVA, ser considerado “negro” é “absurdo” e “discriminação”… que comentários lamentáveis. =/

    Liked by 1 person

  20. ´HÓ,meu amigo,do brasil se esses que se dizem ser superiores,porque não conseguiram transmutar a sua raça,logo,logo serão defeituosos,assim como Hilter e outros.Vocês são uma raça em ascensão. Logo serão a raça mais bela do planeta,isso porque a base é portuguesa(celtas,lusitanios,iberos,galaicos) negra e india.Abraços

    Liked by 1 person

  21. Considero-me um individuo educado e culto e acima de tudo vivido. Tive a tenho a felicidade de poder viajar muito e de ver outros paises e conhecer outros povos e culturas.

    Entre outros, vivi 3 anos na Irlanda e ate aos 15 anos passei os veroes no minho, ja muito proximo da fronteira com Espanha.

    Nasci em Cale (Gaia) e estudei no Portus ( Porto ) .

    Eu nao sei de onde venho nem o meu passado genetico, sei apenas o que sinto no meu coracao e como reajo ao viajar por Portugal em termos linguisticos, culturais, sociais e ate a forma como nos vemos uns aos outros.

    Lamento mas nao me identifico com os Portugueses do Sul. Amo-os na sua essencia mas nao me sinto tao “ligado” como a um Bracarense ou um Galego. Sim, sinto-me mais ligado a Vigo que a Lisboa, a Braga que a faro. Sera da pronuncia? Sera dos longos veroes passados no alto minho? Nao sei, como disse so sei o que sinto.

    E isto nao tem nada a ver com a cor. Eu tenho 1,82, cabelo escuro e olhos claros e pele morena. Sim, mistura. Em 4 irmaos somos todos diferentes. De caracois negros a longos cabelos loiros, olhos verde garrafa a azuis.

    Enquanto avido leitor e estudante de historia devo concordar que a historia que nos ensinam nao é a mais precisa.

    Por fim dizer algo muito sentido: quando um povo se sente diferente, é porque o é. E nao adianta forca-lo, amordaca-lo e impor-lhe uma cultura. No seu intimo ele sente, sabe e age de forma diferente.

    Saudacoes a todos os Portugueses, Brasileiros e Galegos.

    Liked by 1 person

  22. Estudei por muitos anos sobre a cultura celta, e creio que apesar de que antes dos ataques romanos a maior parte de Portugal fosse de povoamento celta, atualmente apenas uma pequena faixa no extremo norte de Portugal ainda possui influência da cultura celta, a região às margens do Rio Minho. Acho que nem todas as áreas da região de Entre Douro e Minho são de influência celta.
    A fisionomia das populações no Norte de Portugal possuem inegável origem celta, porém, boa parte da cultura desapareceu e por isso só considero as regiões às margens do Rio Minho como TERRA CELTA.

    OUTRO CONFLITO ÉTNICO:
    Aqui, no Brasil, ocorre de as pessoas me acharem japonesa, mas sou do norte da Índia, aqui há poucos indianos e o mesmo ocorre com chineses e coreanos. Quase todos as pessoas são sem cultura e equivocadas o suficiente para chamarem qualquer pessoa asiática de “japonês”. Muitos indianos do sul, que são brancos mas tem a pele bem escura são chamados de “negros” até mesmo na televisão. Não há, sem nenhuma dúvida, algum país mais miscigenado que o Brasil. E, se você que mora fora da região Sul ou Sudeste, e se diz racialmente “puro”(negro ou branco), há 99,99999999999999% de chances de você estar errado. No Sul e Sudeste do Brasil, há menos miscigenação, mas mesmo assim, a população é homogeneamente negra ou branca em poucos lugares. A minha opinião sobre o que acontece com descendentes de portugueses e espanhóis no Sul do Brasil é que há falta de cultura e de informação de quem fala que todos estes tem origem negra, isso é deplorável.

    Gostar

  23. Depois de tantos doutos comentários, que não quero contradizer, só gostava que me explicassem o seguinte: as antas, os cromeleques e os menires, que abundam nas actuais zonas portuguesas de Évora, Alandroal,Reguengos, etc, são de que origem? A Anta do Zambujeiro é considerada a maior de toda a Península Ibérica, o Cromeleque dos Almendres, não tem paralelos em Portugal, menires são às dezenas.
    Finalmente: qual a idade destes monumentos megalíticos e qual a idade dos “castros”, sem menosprezar a sua enorme importância, como é óbvio?

    Liked by 1 person

  24. Que gente tao estranha que procura identidade em fantasias dos 1800’s. Pensava que os tribos celtas em Portugal existiam somente entre o Tejo e o Algarve, os Keltikoi/Celtici. Esses dois minhotos aqui sao impostores 🙂

    Gostar

  25. Eu pensei que isto era um debate sobre conhecer as origens históricas de povos que viveram em Portugal antes dos romanos. Porque a parte Celta está pouco estudada e até calada.
    Só uma questão, eu vivo em Braga e se vivesse antes da romanização, eu viveria no ponto mais alto da região e o ponto mais alto é o Bom Jesus e todo o monte que rodeia a Citânia de Briteiros, então porque os historiadores ignoram este facto?

    Muito obrigado

    Gostar

  26. Esta discussão é intrigante… Podiam recomendar um bom livro, independente, sobre os factos aqui expostos?

    Gostar

  27. Cada dia que passa me vejo mais perdido quando se trata de definição das origens étnicas de meus ancestrais portugueses. Gostaria imensamente de ver isso definido.

    Tarcísio Guimarães – Brasil

    Gostar

  28. Imperialismo lisboeta? Eu sou do Norte, tenho pronúncia do Norte, a minha maneira de ser é a da terra onde nasci e não me sinto oprimido. Da última vez que verifiquei não tinha que provar nada a ninguém. Sou duma pequena aldeia escondida no meio das montanhas de entre o Sousa e o Tâmega e não me sinto oprimido por quem quer que seja. O ideário colectivo dum país que se construiu por sua vontade – basta ver quais foram as tomadas de posição do povo ao longo da história – não impede que se procurem e descubram as raízes profundas do local em que cada um nasceu. Sou Galaico com orgulho, e sou português com um orgulho terrível!
    Para lá disto, medir pilas só as mede quem acha que a tem pequena, francamente.

    Gostar

  29. Para que conste nas mentes galaicas e celtas, Viriato e os lusitanos destruiram Vigo que, se não estiver enganado, fica na Galiza. Aliás, os lusitanos povoaram largamente o território nacional. Não sabia que havia muitos “arianos” em braga e arredores!!! Já li que Braga foi fundada por romanos, mas que depois foi conquistada por suevos, estes sim arianos puros… então os visigodos do sul eram rapazinhos de pele escura!!!! Então os visigodos não conquistaram os suevos? Mas e os árabes não foram até às Asturias, aquela região a norte da Galiza?
    E os Vikings nunca vieram ao sul da península! !!! Já vi mais arianos no sul do pais do que no norte “suevo-galaico-celta”…..
    Sinceramente, fico espantado com certos comentários que li sobre a ignorância dos lusitanos

    Gostar

  30. Eu sou “Luso-decsondente” da regiao do Alto minho.
    o que eu sei é que o povo minhoto e tras montano é muito parecido tanto na cultura como fisicamente.E penso tambem que somos mais “Cetltas do que os portugueses mais a sul mas isso nao é o mais importante porque somos todos Portugueses e todos sabemos que ao longo dos séculos esse povo se foi misturando (de norte para sul ,e de sul para norte).
    Acho tambem que é importante saber deonde vimos e quais sao as origens da nossa cultura local.
    Noa é saber se somos “puros celtas” ao nao mas é saber a origem da nossa musica das nossas tradiçoes etc..
    Vivo em França e conheço muitos “Bretoes” que se revendicao celtas e posso diser que cuando ouço musica da Bretanha ha muitas semelhanças com os ritmos de certas musicas do folclore minhoto e por isso concordo com nossas origens celtas.

    Gostar

  31. ” Cuidado. O Norte de Portugal, etnica e culturalmente é Galaico, faz parte da Galiza ou melhor Gallaecia e nunca foi Lusitano.
    Dizes que mais tarde se chamou lusitano aos Galaicos mas a verdade é que eles são Galaicos e não sao lusitanos”

    O Sr. Pedro, que escreveu a pérola anteriomente descrita dia 26/08/2007 às 16:26 deve ser algum galego disfarçado de Português com ideias de dividir um povo uno e indoivisivel que se chama Portugal. A Lusitânia, pre-romana, a tribal de Viriato chegava á cantabria tal como descrito pelos geografos romanso e gregos. Ponto final paragrafo. A Galécia é uma criação imperisliata romana para dividir e enfraquecer a Lusitânia, sendo criada pelos romanos a provincia da galecia. os galaicos eram uma pequena tribo que habitava o porto e arredores, o resto eram Límicos e Luanos no Minho, Turodos, Tamaganis e Zoelas em Tras os Montes.

    “Cuidado para nao confundirmos Lusitania com Portugal.
    Portugal é um conjunto de naçoes como Espanha. A norte tem a naçao Galaica até ao Douro. Tem outra naçao Galaica do Douro ao Mondego, fruto da reconquista e forte repovoamento de Galaicos apos a invasao muçulmana e nos anos que se seguiram. Tem uma naçao Lusitana e ate uma naçao Algarvia com uma componente etnica bastante diferente das outras 2.”

    Mais um chorilho de disparates do Pedro, com que então a comparar Portugal com o império castelhanos, é isso? Até inventa uma nação algarvia. Internem este anormal, se queiserem meterçhe uma bala nos miolos, tambem se arranja, este gaijo não passa de um traidor á patria portuguesa com claros tiques iberistas. Viva Portugal.

    Gostar

  32. Alexandre Herculano de Carvalho e Araújo Historia de Portugal Tomo VII, identifica nos visigodos-moçárabes os Portugueses, os livros dos genealogistas das principais famílias portuguesas principiam em pessoas de godos ou godos do oeste(visigodos)as principais famílias são; Sousa, Baião, Valadares, Ferraz, Melo, Moreira, Pereira, Carvalho, Correia , Guedes, Sá e tantas outras. Por tantas provas das origens visigóticas dos portugueses já faz por terra as tais fabulas lusitanas de lunáticos. saudações visigodos.

    Gostar

  33. Caro Manuel Cabrao,

    Desengane-se se acha mais Português do que eu. Já agora um parêntesis : cornos tem o seu pai, e a cabra da sua mãe que pariu um cabrão mesquinho como V/Exa que nem escrever sabe.

    Como diria aqui no Porto, em bom Português leia-se, você não passa desses pseudo – patriotas de fim-de-semana. Grita, insulta, de bochecha vermelha, mas la no fundo é manso.

    O Povo Português não é unido. Vive de bairrismos e futebolices. Ninguém suporta o centralismo Lisboeta, os insulares que dão despesa. Somos é uns agradadores. Pela frente muito unidos e por trás puro odio, como aquele que o Manuel cabrão aqui destila, em versão light e sem álcool, que V/Exa nao passa de um insignificantezinho de insulto fácil que entra nos blogs para desinformar com uma verborreia de disparates e a ameaçar e insultar por trás do teclado.

    Se o meu amigo Cabrão estiver na disposição de um mano a mano vamos a ver quem mete balazio a quem. Depreendo pelas suas palavras que mete muitos balazios, pelo cu Lusitano acima, e que acha que os demais partilham dos seus gostos.

    Tenha um bom dia caro Cabrão unionista, em bom Português do Porto, vá pra puta que o pariu.

    Bem haja

    Gostar

  34. Eu gostava de saber o que faz o gal no nome de portugal;se somos lusitanos penso eu seria logico terminar luso; como portuluso; esses historiadores de meia queca tentam a todo custo banir-nos da historia; mas tem de meter na caixa cornia que foi com nos que se fez a naçao;galaico com orgulho ; ja ca estavamos e vos ainda continuastes a ser mouros ate afonso 1 cair na asneira de vos colonizar para depois detruirem a nossa cultura;mas mesmo assim ainda subsiste e isso por si so e uma estaca na vossa testa lusitana

    Gostar

  35. portugueses clãs com ancestral visigodo/ostrogodo; Souza, Valadares, costa, Fonseca, barroso, carvalho, nogueira, pereira, Moreira, bastos, sá, pinto, aguiar, guedes, melo, andrade, marinho, Goes. Clãs normandos; Abreu, Dutra. Isto documentado nos livros dos nobiliários portugueses. saudações, visigodos/ostrogodos.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s