Do livro ao filme – The Giver, 2014

3636 Screenshot_1The_Giver_poster

The Giver transposto para o cinema.

O que seríamos de nós sem conhecimento da nossa História, sem emoções, sem nada que nos diferenciasse, sem livre arbítrio para escolher o nosso futuro? A escolha por «Sameness».

Mais do que uma questão, esta é a premissa de “The Giver”, que se desenrola em 2048, onde a humanidade encontra-se dividida em “Comunidades”, sendo dirigida pelos Anciãos. Tudo é monocromático, os cidadãos todos os dias tomam uma injecção para não sentirem emoções e desejos, existem câmaras de vigilância a controlarem todos os espaços, os cidadãos têm um recolher e hora de deitar obrigatórios, as memórias do passado foram apagadas, o clima é controlado, entre outras medidas que visam criar uma sociedade utópica, sem guerras, sem conflitos, sem desigualdades, mas também sem livre arbítrio.  Jonas (Brenton Thwaites), Fiona (Odeya Rush) e Asher (Cameron Monaghan), três amigos de infância que seguem caminhos separados. Jonas é seleccionado como o recebedor de memórias, e o seu mentor, o “dador de memórias”,  é interpretado por Jeff Bridges, que eleva o filme com o seu talento e capacidade de exibir a sapiência e alguma irreverência.

… No filme, os atores são mais velhos do que os heróis do livro. E isso ficou bem.  Gostei da estética da comunidade, o modo como a casa do Dador não encaixava e o uso da cor.  No início, sem cor, e depois, à medida que o Jonas recebia memórias a sua visão da cor vai aumentando aos poucos.

 

25 de Outubro de 1936: constituição do Eixo Berlim-Roma

No dia 25 de outubro de 1936, a Alemanha e a Itália assinaram um acordo de amizade  – o eixo Berlim-Roma.

A Liga das Nações tinha condenado a invasão da Abissínia, no Norte de África, e decretado sanções económicas contra a Itália (a que a Alemanha não aderiu).  A amizade entre os dois países aproximou dois regimes totalitários, na altura isolados do resto do mundo,  e, com esta aliança, unidos contra o resto do mundo.

“A implementação do eixo Berlim-Roma não está voltada contra outros países. Nós, nazis e fascistas, desejamos a paz.”

Na Segunda Guerra Mundial, o eixo Berlim-Roma uma aliança militar e estratégica entre os dois países – regimentos italianos lutaram na frente oriental alemã, enquanto tropas alemãs foram enviadas para apoiar a política expansionista de Mussolini nos Balcãs e no norte da África.

A 27 de setembro de 1940 foi assinado em Berlim o Pacto Tripartite, entre a Alemanha, a Itália e o Japão, dando origem ao que ficou conhecido como Eixo. Tal acordo foi assinado pelo ministro alemão Von Ribbentrop, pelo embaixador japonês Saburu Kurusu e pelo ministro italiano Conde Ciano. Posteriormente outros países assinaram o Pacto: Hungria, Roménia, Eslováquia, Bulgária e Iugoslávia.

A história da II Guerra Mundial passa pelos eventos que colocaram em confronto o Eixo e os Aliados.
A neutralidade dos Estados Unidos termina após o ataque japonês a Pear Harbour.