sabedoria popular aplicada ao ano

Os provérbios deviam ser considerados património cultural imaterial da Humanidade… :)  são ditados populares com sentido lógico e uma sabedoria associada, até contraditória, pois deverão ser aplicados casuísticamente.

Dos contrários, são bons exemplos: Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje ou O que não se faz no dia de Santa Luzia, faz-se no outro dia.

Também há os de prenúncio, associados aos meses e ao estado do tempo. Dos meses, temos muitos…. tantos, que deixo aqui um de cada mês, para começar «a espalhar» provérbios do mês em posts…

Janeiro frio e molhado enche a tulha e farta o gado.

Quando não chove em Fevereiro, nem bom prado nem bom celeiro.

Março marçagão de manhã inverno e de tarde verão.

Em Abril, águas mil.

Maio pardo e ventoso faz o ano farto e formoso.

Sol de Junho amadura tudo.

Chuva de Julho que não faça barulho.

Em Agosto, ardem os montes; em Setembro, secam as fontes.

Setembro ou seca as fontes ou leva as pontes.

Logo que Outubro venha, prepara a lenha.

Em Novembro, prova o vinho e semeia o cebolinho.

Em Dezembro, treme de frio cada membro.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s