E somam doze…

Nos idos de 1 de Janeiro de 2005, o Conversamos?!… passou de página do Sapo (onde nasceu em 2001) a Blog, uns anos no Blogspot e daí importado para o WordPress, estando ligado ao Facebook desde dezembro de 2010.

Contas feitas, exatamente 12 anos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

À época, a vida média dos blogues era considerada baixa – “Qual é a vida media de uma página web? As estimativas variam muito. Em 1997, um artigo publicado na Scientific American falava de 44 dias. Em 2001, um relatório da IEEE Computer sugeriu 75 dias; em 2003, um artigo do Washington Post falou em 100 dias. A determinação da vida media de uma página web é muito complicada e difícil de ser mensurada. Esta temática foi abordada por Nicholas Taylor, num dos blogs da Library of Congress. Maiores detalhes no URL: URL: http://blogs.loc.gov/digitalpreservation/2011/11/the-average-lifespan-of-a-webpage/”

O Conversamos tem as marcas do tempo e das ideias expostas, até porque, como disse um dia um dilecto vizinho da blogoesfera, o próprio blog ajuda o autor a perceber o que foi mudando no tempo. Evidencia gostos, temas recorrentes, bibliofilias e fixação em alguns autores, as ditas tendências valorativas. Serve-me de qualquer coisa entre moleskine, notas de rodapé e caixa de arquivo para ter e divulgar. Continuemos a rolar…

12-dreamstime

O primeiro post, a seguir ao de «início», foi a transcrição do Decálogo Liberal, de Bertrannd Russel.

The Ten Commandments that, as a teacher, I should wish to promulgate, might be set forth as follows

Os Dez Mandamentos que promulgaria, como professor, podem ser estabelecidos como se segue:

1. Do not feel absolutely certain of anything.

1. Não te sintas absolutamente certo de coisa alguma.

2. Do not think it worth while to proceed by concealing evidence, for the evidence is sure to come to light.

2. Não penses que vale a pena proceder com ocultação de evidências, pois elas virão, inapelavelmente, à luz .

3. Never try to discourage thinking for you are sure to succeed.

3. Nunca tentes desencorajar o raciocínio pois com ele vencerás.

4. When you meet with opposition, even if it should be from your husband or your children, endeavor to overcome it by argument and not by authority, for a victory dependent upon authority is unreal and illusory.

4. Quando encontrares oposição, mesmo que seja a de marido ou filhos, esforça-te por superá-la pela força dos argumentos e não pela da autoridade, pois uma vitória que depende da autoridade é irreal e ilusória.

5. Have no respect for the authority of others, for there are always contrary authorities to be found.

5. Não respeites a autoridade de outros, pois encontrarás sempre autoridades contraditórias.

6. Do not use power to suppress opinions you think pernicious, for if you do the opinions will suppress you.

6. Não uses o poder para suprimir opiniões que julgas perniciosas, pois se o fizeres as opiniões suprimir-te-ão.

7. Do not fear to be eccentric in opinion, for every opinion now accepted was once eccentric.

7. Não temas ser excêntrico nas tuas opiniões pois toda e qualquer opinião hoje aceite já foi outrora excêntrica.

8. Find more pleasure in intelligent dissent that in passive agreement, for, if you value intelligence as you should, the former implies a deeper agreement than the latter.

8. Encontra mais prazer na divergência inteligente do que na concordância passiva visto que, se apreciares devidamente a inteligência, a primeira implica um acordo mais profundo do que a segunda.

9. Be scrupulously truthful, even if the truth is inconvenient, for it is more inconvenient when you try to conceal it.

9.  Sê escrupulosamente verdadeiro, mesmo que a verdade seja inconveniente, pois mais inconveniente será quando tentas ocultá-la.

10. Do not feel envious of the happiness of those who live in a fool’s paradise, for only a fool will think that it is happiness.”

10. Não sintas inveja da felicidade daqueles que vivem num paraíso de insensatos, pois somente um insensato pensará que isso é felicidade.

“A Liberal Decalogue”, The Autobiography of Bertrand Russell, Vol. 3: 1944-1969, pp. 71-2.

 

Anúncios

One thought on “E somam doze…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s