Publicado em Terras e sítios

[um dia passo por lá]

da série «um dia passo por lá»  – Valência, Café Ubik

 

Anúncios
Publicado em Art street | Graffitis

Boekenkast (or bookcase)

Vi uma notícia Street Art for Book Lovers: Dutch Artists Paint Massive Bookcase Mural on the Side of a Building

Bookcases are a great ice breaker for those who love to read. What relief those shelves offer ill-at ease partygoers… even when you don’t know a soul in the room, there’s always a chance you’ll bond with a fellow guest over one of your hosts’ titles. Occupy yourself with a good browse whilst waiting for someone to take the bait.

Now, with the aid of Dutch street artists Jan Is De Man and Deef Feed, some residents of Utrecht have turned their bookcases into street art, sparking conversation in their culturally diverse neighborhood.

De Man, whose close friends occupy the ground floor of a building on the corner of Mimosastraat and Amsterdam, had initially planned to render a giant smiley face on an exterior wall as a public morale booster, but the shape of the three-story structure suggested something a bit more literary.

Fui ver ao Google Maps: Utrecht, esquina da Mimosastraat e Amsterdamstraat

e depois a imagem do mural.

Fabuloso…

The trompe-l’oeil Boekenkast (or bookcase) took a week to create, and features titles in eight different languages.

Look closely and you’ll notice both artists’ names (and a smiley face) lurking among the spines.

Design mags may make an impression by ordering books according to size and color, but this communal 2-D boekenkast looks to belong to an avid and omnivorous reader.

Some English titles that caught our eye:  Sapiens – The Subtle Art of Not Giving a F*ck – Keith Richards’ autobiography Life – The Curious Incident of the Dog in the Nighttime – Pride and Prejudice – The Little Prince – The World According to Garp – Jumper

Publicado em Citação

Pensamento do dia

Lembrares-te que mais cedo ou mais tarde vais morrer é a melhor forma que eu conheço de evitar a armadilha de que temos alguma coisa a perder. Nós já estamos nús. Não existe nenhuma razão para não seguirmos o nosso coração.

Steve Jobs

 

imagem aqui

Publicado em Efemérides, Sociologia

Nascido do dia – Émile Durkheim

David Émile Durkheim nasceu a 15 de abril de 1858, em Épinal, e morreu a 15 de novembro de 1917, em Paris. Sociólogo, cientista político, psicólogo social e filósofo francês. É habitualmente referido como «o pai da sociologia», enquanto ciência social.

Da Divisão do Trabalho Social data de 1893. Em 1895, publicou As Regras do Método Sociológico e criou o primeiro departamento europeu de sociologia. Em 1898, fundou a revista L’Année Sociologique.

Se a consagração do termo “sociologia” se deve a Auguste Comte, foi com Émile Durkheim que a sociologia francesa conheceu um forte impulso no fim do século XIX. Ainda que ele não seja o primeiro sociólogo francês, foi o primeiro a procurar fazer da sociologia uma disciplina autónoma, distinguindo-a de outras ciências e considerando-a a ciência dos “factos sociais”, modos de agir, pensar e sentir exteriores aos indivíduos e dotados de poder de coerção em virtude do qual se impõem. Na esteira de Comte, a «física social».

É mais conhecido (pelo menos, no que me diz respeito) pelo trabalho sobre “O Suicídio” (1897), um estudo das taxas de suicídio em populações católicas e protestantes, uma investigação social pioneira e que serviu para distinguir a ciência social da psicologia e da filosofia política.

Durkheim concluiu que as taxas de suicídio são maiores entre os solteiros, viúvos e divorciados do que entre os casados; maiores entre pessoas que não tem filhos; maiores entre protestantes do que entre católicos e judeus. As razões para estas diferenças incluem a interpretação da morte e os níveis de integração sociais.  Na sua interpretação, o suicídio pode ser causado por vínculos sociais fracos – sendo que considerava que o vínculo social era composto por dois factores: a integração social (ligação a outros indivíduos dentro da sociedade) e a regulação social (ligação com as normas da sociedade).

Deviant Art