“Do ensino da bioética e as escolhas temáticas dos estudantes”

Do ensino da bioética e as escolhas temáticas dos estudantes

Lucília Nunes

v. 25, n. 3 (2017)

Resumo

O ensino da bioética no Curso de Licenciatura em Enfermagem, em Setúbal, Portugal, na unidade curricular de Ética II, desde o ano letivo 2008/2009 a 2016/2017, ancorou-se na premissa da livre escolha pelos estudantes do tema para estudo e aprofundamento. Neste artigo, contextualizamos essa prática pedagógica, identificamos e analisamos as escolhas dos estudantes, problematizamos mudanças no decurso de nove anos letivos em breve relação com debates na sociedade civil e alterações do biodireito. Os temas mais escolhidos referiam-se a início de vida (interrupção voluntária de gravidez, gestação de substituição), fim de vida (eutanásia, distanásia) e biotecnologias (doação e transplante de órgãos). As conclusões apontam a relação entre bioética e formação profissional nas temáticas escolhidas e também a educação bioética para a cidadania.

Palavras-chave -Bioética. Ética. Educação em enfermagem.

Texto completo:
Adiciono que, nestes anos letivos, viver esta UC foi muito enriquecidor, pelos estudantes, pelas suas questões. E que investigar o que se faz, quando se é professor, pode bem passar por este género de investigação. Certo?!
Anúncios

“Significados atribuídos à competência emocional do enfermeiro – estudo empírico e impacto na educação”

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS À COMPETÊNCIA EMOCIONAL DO ENFERMEIRO – ESTUDO EMPÍRICO E IMPACTO NA EDUCAÇÃO

Resumo

Objetivo: em vários estudos recentemente realizados, o lugar das emoções na prática de enfermagem surgiu principalmente focado no nível de experiência emocional, aumentando
a necessidade de significar a competência emocional do enfermeiro, a fim de encontrar contributos que permitam conhecer e compreender as diferentes dimensões e identificar
a sua finalidade no proporcionar conforto à pessoa hospitalizada numa unidade de cuidados paliativos.

Métodos: dado que se procuram os signifcados, a abordagem metodológica assumiu uma natureza qualitativa, descritiva e exploratória, utilizando a análise crítica do discurso de Fairclough para configurar o fenómeno. Os sujeitos do estudo foram enfermeiros e doentes que experienciavam a última etapa da vida, ambos presentes em unidades de cuidados paliativos. Foram entrevistadas trinta e quatro enfermeiras e doze pessoas vivendo o fim da vida.

Resultados: a análise e a compreensão da prática social em estudo permitiram construir o construto “competência emocional de enfermeiros”, juntamente com declarações descritivas de cinco capacidades e vinte e uma unidades de competência que o compõem. Conclusões: através da redução e da abstração teórica, o corpus discursivo revelou que a construção da “competência emocional dos enfermeiros” é concetualizada como um conjunto de capacidades que nos permitem conhecer, regular, alcançar e gerir fenómenos emocionais para construir e sustentar relações interpessoais em ambiente afetivo; e podemos explorar a influência na educação ou na gestão.
Palavras-chave: Competência clínica; emoções; métodos; assistência terminal; enfermagem.

Goal: In several studies, that have happened recently, the place of emotions in nursing practice has arisen primarily focused at the level of emotional experience, enhancing the need to signify the emotional competence of nurses. That need has the main intention of find contributions that allow knowing and understanding their different dimensions and identifying their purpose in providing comfort care to the hospitalized person in a palliative care unit.

Methods: Searching for meanings, the methodological approach has taken a qualitative, descriptive and exploratory nature, using critical discourse analysis of Fairclough to find the phenomenon configuration. Research subjects were nurses and patients who experience the last stage of life, both present in palliative care units. We have interviewed thirty-four nurses and twelve people living the end-of- life.

Findings: The analysis and understanding of the social practice under study allowed to build the construct‘emotional competence of nurses’ along with descriptive statements of five capabilities and twenty-one units of competency that compose it. Conclusions: The discursive corpus revealed that the construct of ‘emotional competence of nurses’ is conceptualized as a set of capabilities that allow us to know, regulate, achieve and manage emotional phenomena in order to build and sustain interpersonal relationships in affective environment; and we can explore the influence in education or management.
Keywords: Clinical competence; emotions; methods; terminal care; nursing.

Português

English

“Os limites do agir ético no dia-a-dia do enfermeiro”

capa servir jun2016

Artigo «Os limites do agir ético no dia-a-dia do enfermeiro».

Resumo

Abordamos o tema em cinco etapas.

Na primeira, Questionamento em torno dos limites aborda o campo semântico, algumas perspetivas teóricas e é sintetizável como a identificação do que caracteriza os limites e o o questionamento sobre os limites com alguns autores.

Na segunda, Da tripla fórmula do plano ético aos limites partimos da formulação de Ricoeur para alicerçar as perspetivas ética, ontológica e existencial dos limites humanos.

Na terceira, Ética de Enfermagem foca-se na fundamentação da dimensão ética da práxis, com centro na dignidade da pessoa, a sua autonomia, o seu contexto situado e associando responsabilidade e respeito pelo Outro, compromisso de cuidado e processo transpessoal e intersubjectivo da acção do enfermeiro.

Na quarta, Limites do agir ético, enunciamos um conjunto de elementos, a partir do sentido (ou finalidade) da autoregulação e dos contornos da ação profissional, incluindo a expressão de vontade da pessoa cuidada, o quadro normativo de expressão deontológica, as leges artis, as regras da arte e do cuidado humano, na transição para a responsabilidade profissional e reconhecendo a relação com a cidadania e direitos humanos.

Na quinta, A consciência e a gestão dos limites no agir profissional consideramos os territórios da ação,  com diversas geografias e geometrias variáveis, com enfoque nas escolhas difíceis e recusas, limites provenientes dos intervenientes e dos contextos, conferindo espaço à solicitude a aos dilemas, a uma “moral da medida”, à reflexão sobre a gestão dos depois (as questões da falibilidade e da falta, sentimento de culpabilidade, do arrependimento e do remorso, assim como da satisfação e da alegria, da estima de Si).

No global, procuramos os limites do agir ético no dia-a-dia do enfermeiro,  com o sentido de agregação das dimensões ética, deontológica, práxica do exercício profissional. Que, pela própria natureza da profissão, estreita laços com questões antropológicas e existenciais.

Palavras Chave: Limites, Ética de Enfermagem, Ação do Enfermeiro

Limites agir enfermeiro_ Rev Servir_2016

Artigo: “Problemas éticos identificados por enfermeiros na relação com usuários em situação crítica”

Screenshot_1
Resumo
O artigo apresenta os resultados da análise das questões éticas identificadas por enfermeiros perante usuá­rios em situação crítica, de risco iminente de morte, e cuja sobrevivência depende de métodos avançados de vigilância, monitorização e terapêutica. As principais preocupações éticas dizem respeito à informação ao cliente, ao acompanhamento em fim de vida, à responsabilidade profissional em intervenções interdependentes; as temáticas reportam à decisão da pessoa (consentimento/recusa de proposta terapêutica), dilemas na informação, atuação nos processos de morrer e decisão de não tentar reanimar, respeito pelos direitos humanos em contextos desfavoráveis. Destacamos as dimensões do sentido de responsabilidade, da influência da consciência moral nas decisões, da deliberação de proteger o Outro em risco e da vivência de episódios profissionais de superação; finalmente, identificamos fatores mediadores na gestão das dificuldades éticas.
Rev. bioét. (Impr.). 2015; 23 (1): 187-99

Evocando o cachimbo de Magritte

Evocando o cachimbo de Magritte: das dotações, políticas de pessoal e discursos de acessibilidade

SALUTIS SCIENTIA, VOL 3, NOV 2011, P.3-8

Uma análise que interliga a questão das dotações (da diferença com os rácios, dos métodos e dos fatores a ter em conta) com a gestão de recursos humanos (a necessidade de um plano estratégico de recursos humanos na saúde) e os discursos de acessibilidade e acesso universal a cuidados de enfermagem. Três prismas que convergem na necessidade de se prestar atenção e ter em conta, portanto a recentrar nas questões da equidade e da responsabilidade.