Resolução da AR – recomendação ao Governo – criação de rede nacional de biotérios e promoção dos princípios 3R

Resolução da Assembleia da República n.º 96/2010
Recomenda ao Governo a criação de uma rede nacional de biotérios que forneçam animais para investigação científica e que promova a implementação dos princípios 3R

A Assembleia da República resolve, nos termos do n.º 5 do artigo 166.º da Constituição, recomendar ao Governo que:
1 — Regule, em articulação com as instituições científicas, a instalação e funcionamento dos estabelecimentos de produção e de manutenção de animais para fins de experimentação científica com especial atenção para a venda ou cedência de animais.
2 — Determine as regras que impeçam a venda ou cedência de animais a estabelecimentos que não possuam alvará da Direcção -Geral de Veterinária ou, no caso de estabelecimentos estrangeiros, autorização equivalente que garanta as normas de bem -estar animal.
3 — Promova a criação de uma rede nacional de biotérios que responda de forma adequada às necessidades do nosso sistema científico e assegure o cumprimento das normas legais e das melhores práticas internacionais.
4 — Promova a criação de uma estrutura com as competências de um centro 3R responsável pelo apoio ao desenvolvimento, à validação e à promoção de alternativas ao uso de animais para fins experimentais e outros fins científicos que fique responsável pela implementação, difusão e controlo da aplicação dos princípios 3R entre a comunidade científica portuguesa e que faça o acompanhamento das novas exigências nesta área, atentas as melhores práticas internacionais e as normas da legislação nacional.
5 — Promova a obrigatoriedade de todas as instituições científicas que utilizem animais em investigação possuírem uma comissão de ética que acompanhe todos os processos com experimentação animal e o cumprimento dos princípios 3R, cuja composição inclua especialistas em bem -estar de animais de laboratório.
6 — Mandate a Direcção -Geral de Veterinária para elaborar um relatório anual sobre a actividade de produção e utilização de animais para experimentação científica, recolhendo
e avaliando a informação recolhida das comissões de ética das instituições científicas.
7 — Proceda a um estudo dos biotérios existentes (ou em construção) em Portugal, aferindo a sua capacidade de resposta às necessidades do sistema científico português, com vista à detecção daqueles que, eventualmente, se encontrem desactivados ou subaproveitados (como poderá ser o caso do biotério do Ministério da Agricultura,
no Laboratório Nacional de Investigação Veterinária em Vairão, Vila do Conde), bem como avaliar a eventual necessidade de outros «biotérios centrais» de produção para servir outras regiões do País e da forma como se deverão articular entre si.
8 — Elabore um estudo do impacto da construção de um novo «biotério central» na Azambuja e das funções que este deve assumir na relação entre os parceiros do projecto e destes com outros actores científicos.
Aprovada em 16 de Julho de 2010.
O Presidente da Assembleia da República, Jaime Gama.

Diário da República, 1.ª série — N.º 155 — 11 de Agosto de 2010

Duas notas «simples»: podem nem todas as pessoas saber o que são «os princípios 3R» ou o que é um biotério….E se «biotério» é simples, basta ir a um dicionário (viveiro de animais para pesquisas laboratoriais), já os princípios 3R precisam de uma investigação mais minuciosa. Em benefício da inteligibilidade,  os 3 R são: Replacement, Reduction, Refinement.

Sites para «passar» por lá:

InterNiche

University of Sheffield

Slides confª Bioethcis and animal research

Nuffield Council on Bioethics

Institute for Laboratory Animal Research

Já agora, a criação de um biotério nacional na Azambuja tem sido alvo de uma Plataforma de objecção.

Anúncios