picuinhices… ou da diferença entre pedido e indicação

Há alguma falta de senso linguístico que me “faz espécie”. Por exemplo, quando se toma uma indicação por um pedido.  Alguém indica um forma de fazer alguma coisa e no email seguinte lê-se «a pedido de», quando se devia poder ler «por indicação de». Eu sei que pode parecer uma picuinhice mas, em boa verdade, parece(-me) incapacidade de diferenciar, de estabelecer aquelas distinções simples como entre pedir e indicar.

Um pedido significa que se pediu, um rogo ou súplica, que se apresentou uma necessidade, uma prece. Ah, e prece, do latim prex, significa “pedido, requerimento”.

Uma indicação é apontar ou assinalar, fazer uma recomendação ou prescrição, dar esclarecimento sobre. Portanto, uma indicação ou uma informação, com a mesma raíz latina, já que indicar” vem de in-, “em”, mais dicare, “proclamar, asseverar”, parente próximo de dicere [“dizer, falar, contar”], cujo antepassado é o mesmo, o indo-Europeu deik-, “indicar”.

Assim, não faço um pedido quando trato de esclarecer sobre um circuito ou um procedimento – dou indicação. Não faço um pedido para se cumprirem etapas regulamentadas – dou indicações. Não faço um pedido quando informo qual é a forma de avaliação – dou informação. Et voilá!

Anúncios

Quotidiano exposto

 

Um desses dias fui ao Allegro de Setúbal, e ia à pressa, meio de fugida, mas mesmo assim apreciei a exposição de cabides e máquina de costura antigas. Objetos do quotidiano, eventualmente das últimas décadas, com um tratamento de objetos de arte…

Ilustrações de Nabhan Abdullatif

     

Nabhan Abdullatif é um profissional designer gráfico e ilustrador especialista em arte vectorial. As principais figuras destas ilustrações são ovos, canetas, tábuas, entre muitas outras. No entanto, não se deixe enganar pela simplicidade, pois, constituem uma inteligente e verdadeira obra de arte.