Publicado em Desenvolvimento sustentável, Direitos Humanos, Género, Sociedade

“Turning promises into action: Gender equality in the 2030 Agenda for Sustainable Development”

Turning promises into action: Gender equality in the 2030 Agenda for Sustainable Development”, UN Women’s new flagship report, provides a comprehensive and authoritative assessment of progress, gaps and challenges in the implementation of the Sustainable Development Goals (SDGs) from a gender perspective. The report monitors global and regional trends in achieving the SDGs for women and girls based on available data, and provides practical guidance for the implementation of gender-responsive policies and accountability processes. As a source of high-quality data and policy analysis, the report is a key reference and accountability tool for policymakers, women’s organizations, the UN system, and other stakeholders.

This report lays the basis for robust, gender-responsive monitoring of the 2030 Agenda for Sustainable Development by:

  • showing how gender equality is central to the achievement of all 17 SDGs and arguing for an integrated and rights-based approach to implementation;
  • explaining gender data gaps and challenges for robust monitoring and establishing starting points and trends across a range of gender-related indicators based on available data;
  • providing concrete guidance on policies to achieve two strategic targets under SDG 5 (violence and unpaid care) and outlining how these policies are synergistic with other goals and targets; and
  • setting an agenda for strengthening accountability for gender equality commitments at global, regional, and national levels.

View online/download

Anúncios
Publicado em Desenvolvimento sustentável

“Uma agenda de ação para o desenvolvimento sustentável”

Screenshot_1“Um caminho de desenvolvimento sustentável baseia-se em um arcabouço global d ecooperação paraabordar as quatro dimensões do desenvolvimento sustentável e deve ser baseado em quatro conceitos normativos relacionados: (i) o direito ao desenvolvimento para todos os países, (ii) direitos humanos e inclusão social, (iii) convergência de padrões de vida entre os países, e (iv) responsabilidades compartilhadas e oportunidades.
Para ser efetivo, um arcabouço compartilhado para o desenvolvimento sustentável deve mobilizar o mundo ao redor de um número limitado de prioridades e objetivos associados –provavelmente não mais de dez. O Conselho de Liderança da SDSN identificou os seguintes desafios prioritários, que são interconectados e onde cada um contribui às quatro dimensões do desenvolvimento sustentável:
 • Acabar com a Pobreza Extrema, Incluindo a Fome:  Acabar com a pobreza extrema em todas as suas formas, incluindo a fome, destrunição infantil, subnutrição e insegurança alimentar; e apoiar os países altamente vulneráveis (ODMs 17).
 • Alcançar o Desenvolvimento Dentro dos Limites Planetários: Todos os países terem direito a um desenvolvimento que respeite os limites planetários, garanta padrões de produção e consumo sustentáveis e ajude a estabilizar a população global até o meio do século.
 • Assegurar Aprendizagem Efetiva para todas as Crianças e Jovens para a Vida e para o Sustento: Todos os garotos e garotas devem completar programas de desenvolvimento da primeira infância que sejam acessíveis e de alta qualidade,  educação primária e secundária para prepará-los para os desafios da vida moderna e meios de vida decentes. Todos os jovens e adultos devem ter acesso a aprendizado contínuo, por toda a vida, para adquirir alfabetização funcional,
aritmética e habilidades para ganhar seu sustento através de trabalhos decentes ou trabalhos autônomos.
Alcançar Igualdade de Gênero, Inclusão Social e Desenvolvimento Humano para Todos: Garantir a igualdade de gênero, direitos humanos, estado de direito e acesso universal a serviços públicos. Reduzir a pobreza relativa e outras desigualdades que causam exclusão social. Prevenire eliminar a violência e exploração, especialmente contra mulheres e crianças.
 • Alcançar Bem Estar e Saúde em todas as Idades: Alcançar cobertura universal de saúde em todos os estágios da vida, com particular ênfase em serviços primários de saúde, incluindo saúde reprodutiva, para garantir que todas as pessoas recebam serviços s de saúde de qualidade sem passar por dificuldades financeiras. Todos os países devem promover políticas para ajudar indivíduos a fazerem escolhas saudáveis e sustentáveis em relação à dieta, atividade física e
outras dimensões sociais e individuais da saúde.
 • Aprimorar os Sistemas de Agricultura e Elevar a Prosperidade Rural: Melhorar práticas agrícolas, infraestrutura rural e acesso a recursos para produção de alimentos de forma a aumentar a produtividade agrícola, pecuária e pesqueira, aumentar a renda de pequenos produtores, reduzir os impactos ambientais, promover prosperidade rural e garantir resiliência às mudanças climáticas.
 • Habilitar Cidades Inclusivas, Produtivas e Resilientes: Tornar todas as cidades socialmente inclusivas, economicamente produtivas, ambientalmente sustentáveis, seguras e resilientes às mudanças climáticas e outros riscos. Desenvolver uma governança nas cidades que seja participativa, responsabilizadora e efetiva e que apoie transformações urbanas rápidas e igualitárias.
 • Frear a Mudança Climática Induzida pelo Homem e Assegurar Energia Limpa para Todos: Frear as emissões de gases do efeito estufa do setor de energia, indústria, agricultura, ambientes construídos e mudança no uso do solo a fim de garantir o pico de emissões globais de CO2 até 2020 e evitar os crescentes perigos das mudanças climáticas. Promover energia sustentável para todos.
Assegurar Serviços Ecosistêmicos e Biodiversidade, e Garantir a Gestão Adequada da Água e Outros Recursos Naturais: Biodiversidade e sistemas marinhos e terrestres de importância local, regional e global devem ser inventariados, gerenciados e monitorados para garantir a continuidade de sistemas de suporte à vida resilientes e adaptativos a fim de apoiar o desenvolvimento sustentável. Água e outros recursos serem manejados de forma sustentável e transparente, a fim de apoiar o desenvolvimento humano e econômico de forma inclusiva.
 • Transformar a Governança para o Desenvolvimento Sustentável: O setor público, empresas e outros stakeholder devem comprometer-se com a boa governança, incluindo transparência, responsabilidade, acesso a informação, participação, fim dos paraísos e sigilos fiscais e esforços para acabar com a corrupção. As regras internacionais governando finanças internacionais, comércio, comunicação corporativa, tecnologia e propriedade intelectual devem ser feitas de forma alinhada ao alcance dos ODS. Os financiamentos para redução da pobreza e bens públicos globais, incluindo esforços para evitar as mudanças climáticas, devem ser fortalecidos e baseados em um conjunto graduado de direitos e responsabilidades globais.