“Enfermeiros: Uma voz de Liderança. Alcançar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável”

O 12 de Maio é assinalado em memória do nascimento de Florence Nightingale, considerada a fundadora da enfermagem moderna – comemorá-lo significa reviver, de forma coletiva, a memória de alguém cujo nascimento possibilitou uma série de acontecimentos e transformações.

Foi Florence Nightingale a primeira a definir uma filosofia de enfermagem, a operacionalizar um modelo de prestação de cuidados, a fundar uma escola com um ensino autónomo, a instalar processos científicos na prestação de cuidados e na gestão.

Como outros Dias que se comemoram, o Dia Internacional do Enfermeiro tem a dupla finalidade de lembrar o que aconteceu e de alertar para o presente e o futuro, ao mesmo tempo. Por isso, todos os anos, o Conselho Internacional de Enfermeiros (ICN) determina celebrar a data com uma temática anual específica.

Na última década, o ICN deu enfoque a “Dotações seguras salvam vidas” (2006), aos “Ambientes favoráveis à prática” (2007), seguindo-se uma sequência temática de “Servir a comunidade e garantir qualidade”: com “os enfermeiros na vanguarda dos cuidados de saúde primários” (2008), “os enfermeiros na vanguarda da inovação nos cuidados” (2009) e “os enfermeiros na vanguarda dos cuidados na doença crónica” (2010).

Em 2011, foi assumido o desafio de “Combater a desigualdade: melhorar o acesso e a equidade”, seguindo-se “Combater as desigualdades: da evidência à ação” (2012) e «Combater a desigualdade: Objetivos de Desenvolvimento do Milénio» (2013). No ano seguinte, o lema foi “Enfermeiros: Uma Força para Mudar. Um Recurso Vital para a Saúde”(2014),  seguindo-se «Enfermeiros: Uma Força para a Mudança» (2015) e «Enfermeiros: uma força para a mudança – para um Sistema de Saúde mais resiliente» (2016).

Este ano, o lema do ICN é “Enfermeiros: Uma voz de Liderança. Alcançar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável“, estando em foco áreas da saúde em que a intervenção do enfermeiro é essencial e protectora dos cidadãos.

Lembremos que os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável foram adoptados pelas Nações Unidas em 2014 e são 17 objetivos que abrangem uma vasta gama de temas sobre o desenvolvimento sustentável mundial, desde erradicar a pobreza e a fome; melhorar a saúde e a educação; combater as alterações climáticas; etc. Os 191 Estados-Membros concordaram em atingir estes novos objetivos até 2030.

A área da saúde tem um lugar central no ODS 3: assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar em todas as idades. A Enfermagem tem claramente um papel importante a desempenhar em relação este objetivo, mas em bom rigor o o trabalho dos enfermeiros também tem grande impacto na realização dos outros ODS, tais como no que se refere à educação e pobreza que são referidos frequentemente como os determinantes sociais da saúde, ou seja, as condições em que as pessoas nascem, crescem, trabalham, vivem e que têm impacto nas suas condições de saúde e de vida diária.

Kit do ICN para o Dia Internacional do Enfermeiro (em português)

“Uma cidade para todos” no Dia Internacional dos Migrantes

acidi

A 18 de Dezembro celebra-se o Dia Internacional dos Migrantes, data proclamada em 4 de Dezembro de 2000 pela Assembleia-Geral das Nações Unidas, ante o aumento dos fluxos migratórios no mundo, proclamou o Dia Internacional dos Migrantes (resolução 55/93).

Há vinte e dois anos atrás, a Assembleia Geral das Nações Unidas adoptou a Convenção Internacional para a Protecção dos Direitos de todos os Trabalhadores Migrantes e dos Membros das suas Famílias – um acontecimento importante, quer para as pessoas que se movem voluntariamente em busca de melhores oportunidades economias e de diferentes estilos de vida, quer para aqueles que são obrigados a deslocar-se devido aos conflitos, violência, catástrofes, alterações climáticas e, de forma crescente, necessidades económicas. Reconhecendo esta realidade, o dia 18 de Dezembro foi designado Dia Internacional dos Migrantes. Na sua mensagem oficial deste ano, o Secretário-Geral, Ban Ki-moon, afirma que “a nível global, há mais de 214 milhões de pessoas em movimento. Muitos fogem de condições difíceis e são obrigados a enfrentar lutas ainda mais duras, incluindo violações dos direitos humanos, pobreza e discriminação.” O Secretário-Geral enfatiza a importância e o alcance mundial da questão migratória, e refere que no próximo ano “a Assembleia Geral das Nações Unidas irá acolher o Segundo Diálogo de Alto Nível sobre Migração Internacional e Desenvolvimento, dando aos Estados Membros e aos seus parceiros a oportunidade de discutir medidas práticas para facilitar a mobilidade laboral, promover o desenvolvimento sustentável e proteger os direitos dos migrantes, especialmente das mulheres e crianças.”

 

Efeméride do dia de hoje

105-anos-polo-sul

A primeira expedição a atingir o Polo Sul foi liderada pelo explorador norueguês Roald Amundsen que, com mais quatro membros da expedição, chegaram ao Polo a 14 de Dezembro de 1911.

Algumas fontes apontam a data de 15 de Dezembro. Dado que os dois hemisférios, ocidental e oriental, estão unidos no Polo Sul, ambas as datas podem ser consideradas como correctas, embora Amundsen tenha registado o 14 de Dezembro, tanto na sua mensagem por telegrafo à chegada a Hobart, como no seu relatório completo. (Amundsen, The South Pole; Huntford, The Last Place on Earth’)

“I may say that this is the greatest factor: the way in which the expedition is equipped, the way in which every difficulty is foreseen, and precautions taken for meeting or avoiding it. Victory awaits him who has everything in order, luck, people call it. Defeat is certain for him who has neglected to take the necessary precautions in time, this is called bad luck.”
Roald Amundsen

“Where imaginary mole hills turn into hallucinatory mountains”
Roland Huntford, The Last Place on Earth: Scott and Amundsen’s Race to the South Pole

“Men, as Amundsen liked to say, are the unknown factor in the Antarctic.”
Roland Huntford, Scott and Amundsen: The Last Place on Earth

The Last Place on Earth , além dos livros, foi título de uma mini-série (1985).

1º de dezembro

img_0991 img_0994 img_0995

A primeira comemoração oficial da Restauração da Independência de 1640 foi em 1823, no recinto do Picadeiro Real do Palácio de Belém. O dia 1 de Dezembro é feriado desde a segunda metade do século XIX, sendo o feriado civil mais antigo, tendo sobrevivido à Primeira República, ao Estado Novo e à democracia.  Curiosamente, foi a única celebração civil que os republicanos mantiveram, depois da revolução de 1910.

Esteve suspenso entre 2012 e 2015, regressando este ano ao calendário…

[Fotos do Obelisco comemorativo da restauração da independência, Restauradores]

Efeméride do dia

google-29-novembro

A  efeméride googleana do dia 🙂 o nascimento de Louisa May Alcott, autora de “Mulherzinhas”

Who was Louisa May Alcott and what is her famous book Little Women about?

“The book, in which the four women all have unique identities, may seem overly moralistic and formal by today’s standards, but set a mark for female individualism in the 1860s. The women were at the centre of the book and fully formed characters who grappled with their own choices, even within traditional domestic roles.

Fundamentally, though, the book became a classic coming of age title for millions of girls with relatable and interesting characters.”

mulherzinhas

Dia Mundial da Filosofia

Nas terceiras quintas-feiras de novembro.

Este ano, declarado pela Organização das Nações Unidas como o Ano Internacional de Aristóteles (celebrando 2400 anos…), assinala-se sob o tema

World Philosophy Day 2016

 Message from Irina Bokova, Director-General of UNESCO

This year, we celebrate World Philosophy Day immediately after International Day for Tolerance. This coincidence is deeply significant, given the link between tolerance and philosophy. Philosophy thrives on the understanding of, respect and consideration for the diversity of opinions, thoughts and cultures that enrich the way we live in the world. As with tolerance, philosophy is an art of living together, with due regard to rights and common values. It is the ability to see the world with a critical eye, aware of the viewpoints of others, strengthened by the freedom of thought, conscience and belief.

  … philosophy is more than an academic subject; it is a daily practice that helps people to live in a better, more humane way.  

Irina Bokova
UNESCO Director-General

For all these reasons, philosophy is more than an academic subject; it is a daily practice that helps people to live in a better, more humane way. Philosophical questioning is learned and honed from the youngest age, as an essential key to inspiring public debate and defending humanism, which is suffering the violence and tensions in the world. Philosophy does not offer any ready-to-use solutions, but a perpetual quest to question the world and try to find a place in it. Along this road, tolerance is both a moral virtue and a practical tool for dialogue. It has nothing to do with the naive relativism that claims everything is equally valid; it is an individual imperative to listen, all the more striking because it is founded on a resolute commitment to defend the universal principles of dignity and freedom.

This year, UNESCO celebrates the birthdays of two eminent philosophers, Aristotle and Leibniz, who contributed to the development of metaphysics and science, logic and ethics. Both of them, a few centuries apart and in very different cultural contexts, placed philosophy at the core of public life, as the centrepiece of a free and dignified life. Let us, in turn, celebrate this spirit; let us dare to open spaces for free, open and tolerant thinking. On the basis of this dialogue, we can build stronger cooperation between citizens, societies and States, as a lasting foundation for peace.

Download the message in PDF format