Alerta a quem possa interessar

A Ordem dos Enfermeiros colocou em consulta pública, até 19 de novembro, um documento Competência Específica em Enfermagem de Emergência Extra-Hospitalar – C4E –

“A definição da C4E é, tendencialmente, coerente com os domínios considerados na definição do perfil de competências do enfermeiro de Cuidados Gerais e com os domínios considerados na definição do perfil de competências comuns do enfermeiro Especialista.
 A C4E é assim o conjunto de competências específicas de Enfermagem, que decorrem da experiência profissional, em contexto de trabalho efetivo, e do aprofundamento científico, tecnológico, teórico e prático, na área específica da emergência extra-hospitalar, obtidos em processos formativos, considerados importantes para o seu desenvolvimento.” [os negritos são nossos]
O aprofundamento referido pressupõe: “O reconhecimento, avaliação e certificação da experiência clínica do enfermeiro candidato (…) através da sujeição de requerimento próprio dirigido à Ordem dos Enfermeiros;”, “A inexistência de qualquer sanção disciplinar, relacionada com o exercício profissional do enfermeiro candidato;”, “relatório de avaliação de desempenho do seu superior hierárquico ou enfermeiro nomeado em funções de chefia do serviço no qual o enfermeiro candidato exerce;” “Uma metodologia baseada na análise curricular da experiência clínica e profissional do enfermeiro candidato, relativamente aos últimos 5 anos de exercício”, “evidência de um desempenho de trabalho efetivo de, no mínimo, 200h /ano no contexto de exercício profissional de emergência extra-hospitalar.” e “evidência da frequência de, no mínimo, 70h/ano de aprendizagem clínica, em serviços hospitalares dedicados à emergência e com casuística de elevada complexidade”. [os negritos são nossos]
A proposta de um programa de processos formativos, obrigatórios ou desejáveis, tendo em vista a admissão na C4E está orientada para ser um percurso balizado, não só pela necessária criação e posterior implementação de um sistema de validação e certificação de competências individuais dos enfermeiros que exercem na área específica da emergência extra-hospitalar, mas também pelos alicerces formais e informais que a formação específica e o exercício profissional promovem, isto é, a experiência, o saber e as intervenções que estes enfermeiros criam, recriam e investigam e que colocam ao dispor no cuidado individualizado prestado à pessoa, grupos ou comunidades, em situação clínica de urgência, emergência, crise ou catástrofe, em contexto extra-hospitalar.
Desafio os leitores enfermeiros a irem ver o documento, os pressupostos, o programa formativo obrigatório (e o desejável), os pressupostos clínicos e o perfil de competências. Deixo apenas os nomes dos domínios e os padrões de competência/de desempenho (verifiquem, sff, os critérios de avaliação).
1.1. Domínio: Gestão das intervenções e da prestação de cuidados de Enfermagem específicos a situações de urgência, emergência, crise ou catástrofe
1.1.1. Padrão de Competência: Realiza uma avaliação, concisa e oportuna, da pessoa, grupo ou comunidade, tendo em conta a situação de urgência/emergência, de crise ou catástrofe experienciada
1.1.2. Padrão de Competência: Antecipa as intervenções de Enfermagem em situação de urgência/emergência, gerindo de forma eficaz a prestação de cuidados a uma ou mais pessoas, grupo ou comunidade, em ambientes dinâmicos
1.1.3. Padrão de Competência: Avalia a evolução clínica da pessoa, grupo ou comunidade, em situação de urgência, emergência, crise ou catástrofe, em relação aos resultados esperados e previstos
1.1.4. Padrão de Desempenho: Demonstra capacidade de executar a transferência da pessoa, grupo ou comunidade, em situação de urgência/emergência
1.1.5. Padrão de Desempenho: Demonstra capacidade de prestar cuidados de Enfermagem centrados nas necessidades da pessoa, grupo ou comunidade, em situação de urgência, emergência, crise ou catástrofe extra-hospitalar
1.2. Domínio: Comunicação
1.2.1. Padrão de Desempenho: Estabelece uma comunicação adequada com os membros da equipa de saúde multidisciplinar e com outros agentes externos à equipa
1.2.2. Padrão de Desempenho: Compreende a comunicação como uma parte importante da relação que estabelece com a pessoa, grupo ou comunidade em situação de urgência/emergência, familiares e restantes pessoas significativas
1.3. Domínio: Trabalho interdisciplinar
1.3.1. Padrão de Desempenho: Entende o seu trabalho como parte fundamental da equipa de emergência multidisciplinar.
1.3.2. Padrão de Desempenho: Desenvolve e detém competências específicas na área do conhecimento da Enfermagem de emergência extra-hospitalar, de modo a permitir uma resposta eficaz em situações de urgência, emergência, crise ou catástrofe
1.3.3. Padrão de Desempenho: Lidera de forma efetiva uma equipa de emergência de modo a prestar cuidados de Enfermagem seguros e de qualidade
1.3.4. Padrão de Desempenho: Gere de forma apropriada situações clínicas de emergência complexas e causadoras de ansiedade, angústia e stresse.
1.4. Domínio: Ambiente e Recursos
1.4.1. Padrão de Desempenho: Promoção e manutenção da segurança da pessoa, grupo ou comunidade em situação de urgência/emergência e equipa de emergência multidisciplinar
1.4.2. Padrão de Desempenho: Prevê e gere eficazmente os recursos humanos da equipa de emergência para promover o cuidado ótimo da pessoa e família em situação de emergência.
1.4.3. Padrão de Desempenho: Gere e utiliza todos os recursos materiais de forma eficaz e responsável para promover o melhor cuidado à pessoa (e família), grupo ou comunidade em situação de urgência/emergência.
1.4.4. Padrão de Desempenho: Demonstra preparação e resposta para grandes incidentes e desastres.
1.5. Domínio: Desenvolvimento Profissional
1.5.1. Padrão de Desempenho: Mantém um desenvolvimento profissional de excelência
1.5.2. Padrão de Desempenho: Contribui para o desenvolvimento profissional dos colegas.
1.5.3. Padrão de Desempenho: Promove a Enfermagem de Emergência Extra-hospitalar e a C4E
1.6. Domínio: Liderança
1.6.1. Padrão de Desempenho: Demonstra capacidades de liderança e de tutoria no exercício da Enfermagem em situações de urgência, emergência, crise ou catástrofe, em contexto extra-hospitalar
1.6.2. Padrão de Desempenho: Apoia e desenvolve ações de assessoria e consultoria em Enfermagem relativamente ao contexto de exercício específico da emergência extra-hospitalar.
1.7. Domínio: Investigação
1.7.1. Padrão de Desempenho: Promove a excelência e a qualidade do exercício profissional no contexto extra-hospitalar
1.7.2. Padrão de Desempenho: Promove o desenvolvimento da investigação em Enfermagem no contexto específico da emergência extra-hospitalar.
Para potenciar a análise, será importante ter em conta:
– Os perfis de competências do enfermeiro de cuidados gerais e as competências comuns do enfermeiro especialista
 – Dissertação de mestrado em Enfermagem Médico-Cirúrgica (2012) Exercício de enfermagem pré-hospitalar: esforço contínuo de afirmação profissional, de Catarina Tavares
– Wihlborg, J., Edgren, G., Johansson, A., & Sivberg, B. (2014). The desired competence of the Swedish ambulance nurse according to the professionals – A Delphi study. International Emergency Nursing, 22(3), 127-133.
Anúncios

III Encontro Internacional de História da Enfermagem, 2017

iii

Objetivos:

-Contribuir para o aprofundamento e a divulgação do conhecimento cienơfico em História da Enfermagem e da saúde, numaperspetiva interdisciplinar;
– Divulgar experiências, modelos e abordagens de investigação em história da enfermagem e da saúde
– Contribuir para a criação de meios que permitam criar um sentido de pertença intergeracional e de apropriação do passado como elemento necessário para a atualização e reforço da identidade profissional

O programa definitivo e outras informações sobre o Encontro pode ser consultado em www.sphe.pt

A quem possa interessar…

forum

O projeto MAIS PARTICIPAÇÃO, melhor saúde, organizará no próximo dia 18 de outubro (9h-17h), no Auditório do Edifício Novo da Assembleia da República, em Lisboa, o Fórum MAIS PARTICIPAÇÃO, melhor saúde, onde será feito o lançamento público da Carta para a Participação Pública em Saúde.

 O Fórum será também um dia de debate dedicado à temática da participação em saúde, com convidados/as de várias entidades ligadas às áreas da saúde e da participação. Serão ainda apresentados os resultados dos inquéritos realizados junto de 78 organizações da área da saúde e mais de 600 cidadãos, sobre a suas visões, atitudes e experiências de participação na área da saúde.

Poderá consultar aqui o programa provisório da conferência. A entrada é livre, mas sujeita a inscrição, que poderá ser feita aqui –  Facebook e também a petição

A quem possa interessar

14a

14ª Conferência Internacional de Investigação em Enfermagem
A translação do conhecimento de enfermagem: Uma força para a
mudança na prática clínica!

14th International Nursing Research Conference
Translational nursing knowledge: A force for change in clinical practice!

Normas de apresentação e critérios de apreciação por pares: normas-e-criterios

 

5th

Instructions for submission of abstracts and criteria for peer review

5o-cgiqs-normas-e-criterios

A quem possa interessar

Mulheres, Cidadania e Direito de Voto

Screenshot_1

Para assinalar os 40 anos da Constituição da República Portuguesa de 1976, que pela primeira vez consagra constitucionalmente o voto universal, o Instituto de História Contemporânea da FCSH/NOVA irá organizar nos dias 21 e 22 de Novembro de 2016 na Assembleia da República um congresso internacional que se debruçará sobre o papel das mulheres nos processos dos ciclos eleitorais. O congresso encontra-se aberto a todas as áreas científicas.

[…]

O encontro procurará analisar as diversas modalidades e práticas dessa luta pelo sufrágio feminino na longa duração, desafiando a comunidade académica a apresentar propostas no âmbito das construções normativas e leis, na participação das campanhas eleitorais, ou na participação no planeamento e execução dos actos eleitorais. O congresso promove o estudo destes aspectos numa perspectiva transnacional interdisciplinar e comparada e em diferentes tipos de regime.
[…]

As propostas de comunicação deverão ser submetidas até ao dia 30 de Setembro de 2016 e deverão incluir o título, resumo (máximo de 300 palavras) e uma breve nota biográfica (máximo de 200 palavras). Os resultados serão comunicados a  15 de Outubro de 2016.

continuar a ler

Um minuto….

2016 internet minute

Um minuto são 60 segundos 🙂 e o volume de atividade internáutica é assombroso. No topo, os emails (150 milhões de emails enviados), seguindo-se o WhatsApp (20.8 milhões de mensagens), o YouTube (2.78 milhões de vídeos vistos)…. e o Google Search (2.4 milhões de search queries). Muito se comunica e busca e vê e ouve… pergunta seguinte: quais os resultados??