Global Peace Index 2017

Em 2016, tinha aqui deixado algumas anotações sobre o Global Peace Index – na altura, Portugal estava em 5º lugar no ranking europeu –  “The largest improvement in the region was recorded by Portugal, which built on gains last year to rise nine places to fifth globally.”

O Global Peace Index de 2017, lançado em junho deste ano, continua a analisar 163 países com base nos níveis de segurança considerados em 23 fatores,  agrupados em três categorias: níveis de paz e segurança na sociedade, conflitos internos e internacionais, e utilização dos recursos militares.

Em 2017, Islândia, Nova Zelândia, Portugal, Áustria e Dinamarca foram os cinco primeiros do ranking, por esta ordem. A Islândia mantem a mesma posição desde 2008. Portugal, que tinha vindo a subir nos últimos anos, passou de 5º para 3º.

No global,

Na região Europa

“Ser jovem em Portugal” – retalhos de uma infografia

Uma infografia muito clara

“São cada vez mais escolarizados. E cada vez mais conectados com o mundo, via Internet. Mas este ainda é o grupo da população mais atingido pela pobreza. Há em Portugal 3,1 milhões de jovens até aos 29 anos, 1,4 milhões têm 14 anos ou menos”

fonte: aqui

 

 

1º de dezembro

img_0991 img_0994 img_0995

A primeira comemoração oficial da Restauração da Independência de 1640 foi em 1823, no recinto do Picadeiro Real do Palácio de Belém. O dia 1 de Dezembro é feriado desde a segunda metade do século XIX, sendo o feriado civil mais antigo, tendo sobrevivido à Primeira República, ao Estado Novo e à democracia.  Curiosamente, foi a única celebração civil que os republicanos mantiveram, depois da revolução de 1910.

Esteve suspenso entre 2012 e 2015, regressando este ano ao calendário…

[Fotos do Obelisco comemorativo da restauração da independência, Restauradores]

«Pão-por-Deus», da nossa memória coletiva

bolos-dos-santos 17559054_mu76q

Lembro-me bem do «pão-por-Deus», peditório do dia 1 de novembro, Dia de Todos os Santos ou de Finados. De levantar cedo, porque era de manhã que se saía a pedir pão-por-Deus.

E havia quem soubesse recitar versos e quadras, a troco das quais se recebia pão, broas, bolos, nozes, amêndoas ou castanhas,  que se punham em sacos de pano, e passava-se à porta do lado…

Por isso, havia quem chamasse «Dia dos Bolinhos» – e os bolinhos eram confecionados especialmente para o dia, com farinha e erva doce com mel ou, como há quem conte, com batata doce, abóbora e frutos secos.

Consta que a tradição começou em Lisboa em 1756 – 1 ano depois do terramoto que ocorreu a 1 de novembro de 1755, cuja data coincidiu com o Dia de Todos os Santos – quando a população aproveitou a solenidade do dia para desencadear, por toda a cidade, um peditório, com a intenção de minorar a situação de fome e pobreza.  E as pessoas pediam: “Pão por Deus”. (fonte aqui)

Esta tradição propagou-se a todo o país e prolongou-se nos séculos.

Do que sei,  na década de 60 (do século XX) só as crianças até aos 10 anos  podiam pedir o “Pão-por-Deus” e durante a manhã.

A partir dos anos 80, a tradição foi desaparecendo e há uns 20 anos começou-se a assistir à comemoração do Halloween.

Uma certa forma de “estrangeirismo” que ganhou à memória coletiva….

**********

Pão por Deus,

Fiel de Deus,

Bolinho no saco,

Andai com Deus.

************

Lá vai o meu coração
Sozinho sem mais ninguém
Vai pedir o Pão-por-Deus
A quem quero tanto bem

*************
Pão por Deus
Que Deus me deu
Uma esmolinha
Por alma dos seus

********************

«Bolinhos e bolinhós

Para mim e para vós.

Para dar aos finados

Qu’estão mortos, enterrados.

À porta da bela cruz

Truz! Truz! Truz!

A senhora que está lá dentro

Assentada num banquinho.

Faz favor de s’alevantar

P’ra vir dar um tostãozinho.”

*******************

… ainda no Ródão

img_2381 img_2391 img_2393 img_2395

Por ali, estavamos só os dois. Ele e eu, na Portas do Ródão. Tirei umas fotografias e depois tive de andar à procura para saber o nome…. pelo que percebo, será um corvo-marinho de faces brancas, Será?

Guia prático de aves do distrito de Castelo Branco

Aves de Vila Velha de Rodão

Aí está uma área em que preciso aprender mais 🙂