Museu da Saúde, Lisboa

Constatei que muita gente não sabe (sabia) da sua existência e resolvi divulgar aqui. Fica num pavilhão do Hospital de Santo António dos Capuchos (antigo serviço de Neurocirurgia).

https://museudasaude.inwebonline.net/

Gostei da visita (com estudantes do 1º ano do CLE é mesmo outra coisa!).

E não podendo ir ao local, o site é organizado e permite pesquisa por objetos e por coleção. website aqui.

o uso de frases /ideias incompletas

Carpe diem, quam minimum credula postero.Lat., Seize the day, put no trust  in tomorrow. - Horace | Dichos y frases, Tatuajes sutiles, Tatuajes  femeninos

Ocasionalmente, dá-se conta que as pessoas citam e reconhecem apenas metade de uma frase. Portanto, se pensarmos na intencionalidade do autor, ficamos pela metade, amputamos a ideia.

Um exemplo crítico é «Carpe Diem», que é expressão utilizada repetidamente, quando a frase da Ode de Horácio (em bom rigor, Quintus Horatius Flaccus) é «Carpe Diem, quam minimum credula postero.»

Horácio era epicurista, e o sentido da recomendação a Leucone seria o de se focar no presente, no dia de hoje, aproveitar o dia, confiar o mínimo no futuro. Uma segunda parte esquecida, torna indulgente a ideia de «Vive o dia», numa espécie de visão curta da existência. Quando o sentido de «aproveita o dia, põe pouca fé no futuro» é tomar consciência que temos de nos focar no presente, que o futuro é incerto. Por isso, fazer o que se pode enquanto se pode, no presente, até para um futuro melhor.

pensamento do dia

“temos o direito de ser iguais quando a nossa diferença nos inferioriza; e temos o direito a ser diferentes quando a nossa igualdade nos descaracteriza”.


Santos, BS. (2003).  Por uma concepção multicultural de direitos humanos. In Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitismo cultural. Civilização, p. 458.

lê-se tão bem…

Lisboa é uma cidade com um vasto lastro histórico, hoje grande região urbana, plena de quotidianos e de interdependências às mais diversas escalas. Com um posicionamento sempre vagueante, em múltiplos tabuleiros, entre centro e periferia, cosmopolitismo e localismo, desenvolvimento e crise. Após cinco décadas de explosão metropolitana, completa agora uma década de transição. Para tempos novos e ainda incertos.

Este ensaio propõe uma reflexão analítica e interpretativa da evolução contemporânea de Lisboa. Observa o passado, o presente em movimento e os múltiplos desafios colocados à cidade. Uma economia produtiva, social, redistributiva e circular, comunidades coesas e solidárias, habitats e mobilidades acessíveis, qualificados e ecológicos.

Entre extraordinárias potencialidades e exasperantes fragilidades, Lisboa encontra-se, de novo, em metamorfose.

competências acrescidas

Em publicações de agosto, os regulamentos da Ordem dos Enfermeiros sobre competências acrescidas:

Regulamento n.º 728/2021 169107949 5 de agosto

Regulamento da Competência Acrescida Diferenciada em Enfermagem Forense

Regulamento n.º 729/2021 169107950 5 de agosto

Regulamento da Competência Acrescida Diferenciada em Enfermagem em Reprocessamento de Dispositivos

Regulamento n.º 744/2021 169420599 11 de agosto

Regulamento da Competência Acrescida Diferenciada em Enfermagem no Desporto

Declaração de Retificação n.º 574/2021 169689571 Ordem dos Enfermeiros – Retificação do Regulamento da Competência Acrescida Diferenciada em Enfermagem no Desporto

Regulamento n.º 752/2021 169491160 12 de agosto

Regulamento da Competência Acrescida Diferenciada e Avançada em Enfermagem Hiperbárica e Subaquática

Regulamento n.º 766/2021 169689572 17 de agosto

Regulamento da Competência Acrescida Diferenciada em Enfermagem Oncológica

Estas áreas de competência acrescida, juntam-se às existentes:

Competência Acrescida Diferenciada e Avançada em Estomaterapia – Declaração de Rectificação

Competência Acrescida Diferenciada e Avançada em Estomaterapia 

Competência Acrescida Avançada em Psicoterapia

Competência Acrescida Avançada em Gestão

Competência Acrescida Diferenciada em Emergência Extra-Hospitalar

Competência Acrescida Diferenciada e Avançada em Supervisão Clínica

“The false academy: predatory publishing in science and bioethics”

Já tem uns anos mas vale a pena (re)ler

This paper describes and discusses the phenomenon ‘predatory publishing’, in relation to both academic journals and books, and suggests a list of characteristics by which to identify predatory journals. It also raises the question whether traditional publishing houses have accompanied rogue publishers upon this path. It is noted that bioethics as a discipline does not stand unaffected by this trend. Towards the end of the paper it is discussed what can and should be done to eliminate or reduce the effects of this development. The paper concludes that predatory publishing is a growing phenomenon that has the potential to greatly affect both bioethics and science at large. Publishing papers and books for profit, without any genuine concern for content, but with the pretence of applying authentic academic procedures of critical scrutiny, brings about a worrying erosion of trust in scientific publishing.

continuar a ler

The Stand – em português [2021]

The Stand foi escrito na 1ª versão em 1978 e ampliado em 1990 (e matéria de uma série da ABC em 1994). Lançado em 1978 com mais de 800 páginas, foi relançado em 1990 numa versão estendida que chegou este ano a versão em português (impressionante, certo?… 31 anos, nem mais)

Como se esperaria, uma escrita que retém a atenção e faz pensar – a partir de um cenário pós-apocaliptico, resultado de uma estirpe modificada de supergripe que destrói 99.4% da população mundial em algumas semanas. (Captain Trips). E, claro, nem se dá pelas mais de mil e duzentas páginas… do I e II.

V Encontro Internacional, SPHE

A realização do V Encontro Internacional de História da Enfermagem enquadra-se nas linhas programáticas da SPHE, assumindo que promover o conhecimento da história da Enfermagem é apoiar o desenvolvimento da disciplina e clarificar a identidade da profissão.
Nesse sentido, são objetivos deste encontro:
Realçar a História Oral como metodologia relevante para resgatar memórias e suprir limitações de fontes e práticas discursivas em que o papel dos enfermeiros está submerso, subentendido ou oculto;
Partilhar e divulgar experiências e trabalhos científicos com base na história oral, numa perspetiva interdisciplinar e transnacional;
Criar as bases para a fundação de um laboratório de história oral da enfermagem portuguesa.

site SPHE

INSCRIÇÕES: Até ao dia 29 de setembro de 2021 inscrição no ENCONTRO
SUBMISSÃO DE RESUMOS: Até ao dia 13 de setembro de 2021 submissão ARTIGO