Academic Ranking of World Universities – 2016 (e 2015)

Screenshot_1

A Classificação Académica das Universidades Mundiais 2015 (Academic Ranking of World Universities, ARWU) foi divulgada hoje pelo Centro de Universidades de Classe Mundial da Universidade de Jiao Tong de Xangai.

EM 2015

Olhando os países, no mapa do mundo, estamos a falar de uma distribuição de 500 universidades por 42 países. Os primeiros 20 lugares são de Universidades nos Estados Unidos (16 ), Reino Unido (3) e Suiça (1).

Screenshot_2

“A Universidade de Harvard continua a ser número um no mundo pelo 13º ano, e as outras universades de 10 melhores são: a Stanford, o MIT, a Berkeley, a Cambridge, a Princeton, o Caltech, a Columbia, a Chicago e a Oxford.

Na Europa Continental, o Instituto Federal de Tecnologia de Zurique (ETH Zurich) (20ª) na Suíça ocupa o primeiro lugar, e a Universidade de Copenhague (35ª) na Dinamarca ultrapassa a Universidade Pierre e Marie Curie (36ª) da França como a 2ª melhor universidade nesta região.

A Universidade de Tóquio (21ª) e a Universidade de Quioto (26ª) mantêm as suas posições de liderança na Ásia. A Universidade de Melbourne (44ª) encabeça outras universidades na Oceânia.

A Universidade de Warwick (92ª) no Reino Unido entra na lista das 100 melhores universidades pela primeira vez.

No total há 11 universidades que se introduzem na lista das 500 melhores universidades em 2015, entre os quais a Universidade de Tecnologia da Queenslândia da Austrália e a Universidade de Tecnologia de Sharif do Irão fazem suas primeiras aparições.

O Centro de Universidades de Classe Mundial também lança a Classificação Académica das Universidades Mundiais 2015 por Grandes Áreas Temáticas (ARWU-FIELD) e a por Áreas Temáticas (ARWU-SUBJECT). As 200 melhores universidades em cinco grandes áreas temáticas e em cinco áreas temáticas selecionadas são enumeradas, onde as 5 melhores universidades são:

Vendo o ranking completo, das 500 universidades, por países com Universidades no ranking, estão:

Estados Unidos, 146

Alemanha, 39,

Reino Unido, com 37,

China, com 32,

França, com 22,

Canadá, Austrália e Itália com 20,

Japão, com 18

Espanha com 13,

Holanda, Coreia do Sul, com 12,

Suécia, com 11,

Bélgica, Suiça, com 7,

Áustria,  Finlândia, Israel e Brasil, com 6,

Dinamarca, com 5,

África do Sul e Arábia Saudita com 4,

Irlanda, Portugal e Noruega, com 3,

Chile, Hungria, Grécia, Polónia, Irão, Malásia, Rússia, Nova Zelândia, com 2,

República Checa, Sérvia, Eslovénia, Egito, Índia, Turquia, México, Argentina, com 1.

Dos 42 países, 9 totalizam 354 universidades (Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, China, França, Canadá, Austrália, Itália e Japão), enquanto 17 têm 1 ou 2.

Nos ranking das 500 melhores há 3 universidades de Portugal, em 201, 301 e 401 lugares.

Screenshot_5

EM 2016

 

Screenshot_1

“Harvard University remains the number one in the world for the 14th year. Berkeley raise from the 4th to the 3rd. Oxford soars from the 10th place to the 7th. ETH Zurich (19th) takes first place in Continental Europe, and University of Copenhagen (31st) in Denmark overtakes Pierre & Marie Curie (39th) in France as the second best university in this area. In Asia, University of Tokyo is back to Top 20 but Kyoto University drop from 26th to 32nd. University of Melbourne (40th) tops other universities in Oceania, followed by University of Queensland (55th).”

There are totally 9 universities breaking into the Top 100 list in 2016, among which Tsinghua University, Peking University, Monash University, National University of Singapore, Mayo Medical School and the University of Texas M. D. Anderson Cancer Center make their first appearance in the Top 100. This is also the first time for China and Singapore to have Top 100 universities in the world.

In total, 27 universities have made it into the Top 500 list for the first time.”

Voltando a ver por países,

Estados Unidos, 137 (-11)

Alemanha, 38 (-1)

Reino Unido, com 37 (=2015)

China, com 41 (+11)

França, com 22 (=2015)

Austrália,  23 (+3)

Itália (-1) e Canadá (-1) com 19

Japão, com 16 (-2)

Espanha com 12 (-1)

Holanda, com 12 (=2015)

Suécia  (=2015), Coreia do Sul (-1), com 11

Suiça, com 8 (+1)

Bélgica, com 7 (=2015)

Finlândia e Brasil, com 6 (=2015)

Dinamarca, Áustria (-1), Israel (-1) e Portugal (+2) com 5

 

Nova Zelândia (+2), África do Sul e Arábia Saudita com 4

Malásia (+1), Rússia (+1), Irlanda e Noruega, com 3

Hungria, Grécia, Polónia, Irão, com 2 (=2015)

Chile (-1),  Sérvia, Eslovénia, Estónia, Egito, Índia, Turquia, México, Argentina, com 1.

O comparativo com 2015 é interessante, sendo elevada a mobilidade de países como os Estados Unidos e a China.

Quanto a Portugal, a UL subiu a 151 (notável!), a UP e a UC mantiveram e entraram Aveiro e Minho, no ranking 401-500.

Screenshot_2

Nas performances das IES de Portugal, Aveiro e Minho marcam início e o desenvolvimento foi:

Universidade de Lisboa

Screenshot_6

Universidade do Porto

Screenshot_5

Universidade de Coimbra

Screenshot_2

 

 

 

Anúncios

Positive Peace

factors of positive peace

Um aspeto relevante do Global Peace Index 2016, e interessante, é a parte relativa a Positive Peace and Systems Thinking, a identificação e análise dos pilares/componentes da paz positiva, ” presents new research on the link between Positive Peace, which represents “the attitudes, institutions and structures which sustain peace”, and broader societal resilience.”

Uma coisa é viver em paz (isto é, na ausência de violência ou medo de violência), outra é desenvolver processos, comportamentos e atitudes que criem e sustentem sociedades pacíficas. Alguns factores relevantes ainda são muito precários entre nós.

positive peace

Entendi consistente a distinção entre peacebuilding e peacekeeping. E mais em Global Peace Index, 2016

Screenshot_1

Rankings… a perder de vista!

Screenshot_1

As parangonas do Público, anunciam “MIT volta a ser a melhor universidade do mundo” o que pode ser diferente de afirmar que está em primeiro lugar no ranking 🙂 – recorde-se que noutro ranking, no início de 2013 em termos de reputação o primeiro lugar era de Harvard.

“A universidade norte-americana MIT (Massachusetts Institute of Technology) foi eleita pelo segundo ano consecutivo como a melhor do mundo pela QS World Universities, uma organização que avalia o desempenho das instituições de ensino a nível internacional. Portugal tem cinco universidades nesta lista internacional, mas todas depois do 300.º lugar.
Já no ranking de 2012 o MIT tinha conseguido destronar as famosas universidades de Harvard (Estados Unidos) e Cambridge (Reino Unido), que surgem no segundo e no terceiro lugar, respectivamente.
No ano passado, Cambridge ocupava o segundo lugar e Harvard o terceiro. O quarto lugar foi atribuído ao University College e o quinto ao Imperial College, ambos em Londres.
O ranking intitulado Quacquarelli Symonds Limited – University World Rankings (QS), que classifica 600 instituições, baseia-se em diversos critérios: qualidade da investigação, taxas de empregabilidade, qualidade do ensino, internacionalização das faculdades e do corpo docente, número de citações em revistas de especialidade, entre outros.
Os principais lugares do ranking são conquistados pelas universidades norte-americanas, que ocupam 11 dos 20 primeiros lugares (mesmo assim, na edição de 2012, ocupavam 13 em 20). Se olharmos para os primeiros 100 lugares, 30 são de universidades norte-americanas, quando no ano passado eram 31.
Portugal tem cinco universidades nesta lista internacional. A primeira é a Universidade do Porto, que surge no 343.º lugar, seguida pela Universidade Nova de Lisboa, na 353.ª posição, e a Universidade de Coimbra, no lugar 358. A Universidade Católica Portuguesa e a Universidade de Lisboa são colocadas entre a posição 551 e 600, que já não é ordenada.
(…) Com excepção do Reino Unido, apesar de as universidades dos países da Europa continental continuarem a estar pouco representados nos principais lugares deste ranking, da edição de 2012 para a de 2013 nota-se uma evolução, com a Suíça a conquistar dois lugares entre os primeiros 20 (um 12.º e um 19.º) e a Holanda a ter mais duas universidades do que no ano passado nas primeiras 100, num total de seis. Já França conta com duas universidades entre as 50 primeiras, uma em 28.º e outra em 41.º. Na 45.ª posição aparece a primeira universidade dinamarquesa e na 50.ª a primeira alemã.”
 

Ranking apresenta-se de uma forma apelativa…

rankings… por que há quem goste (de saber)…

O Institute of Higher Education da Shanghai Jiao Tong University divulgou o ranking 2006

Top 100 World Universities.

Nos 20 primeiros lugares estão 17 universidades dos Estados Unidos, 2 de Inglaterra e 1 do Japão.

No Top 100 European Universities,

nas 10 primeiras, estão 4 de Inglaterra (Cambridge, Oxford, Imperial Coll London, Coll London), 1 da Suiça, 1 da Holanda (Utrecht), 1 de França (Univ Paris 06), 1 da Suécia (Karolinska Inst Stockholm), de novo UK (Manchester) e 1 da Alemanha (Munich).