# 2 – Mnemónicas…

Aqui estão duas mnemónicas fáceis para as terminações do ácido e do ião que deriva:

Bico de pato, Osso de cabrito, Frederico no espeto.
de ICO para ATO – Bico de pato (ex: ácido sulfúrico – sulfato)
de OSO para ITO – Osso de cabrito (ex ácido nitroso – nitrito)
de ICO para ETO –  Frederico no espeto (ex: ácido clorídrico – cloreto)

OU

O Bico do pato comeu o gostoso mosquito ídrico eto.

De onde, o bICO do pATO comeu o gostOSO mosquITO ÍDRICO ETO.

Para ácidos que terminam em -ICO, troca-se essa terminação por -ATO.
Ex.: Ácido sulfúrICO(H2SO4)->SulfATO(SO4²-).

Para ácidos que terminam em -OSO, troca-se essa terminação por -ITO.
Ex.: Ácido clorOSO(HClO3)->ClorITO(ClO³-)

Para ácidos que terminam em -ÍDRICO, troca-se essa terminação por -ETO.
Ex.:Ácido clorÍDRICO(HCl)-> ClorETO(Cl-)

# 1 – Mnemónicas

Uma mnemónica é, basicamente, um auxiliar de memória – frases utilizadas para memorizar listas ou fórmulas, técnicas ou dispositivos que permitem aumentar a capacidade de armazenamento ou evocação do material na memória, particularmente relevantes para associações dificeís que é preciso mesmo memorizar.

Da mesma raíz de Mnemósine (a deusa grega da Memória), a mnemónicaajuda a memorizar e, portanto, a permanecer. Um destes dias, em conversa, descobrimos que recordávamos mnemónicas aprendidas há mais de trinta anos, o que, em si mesmo, revela a durabilidade de uma memorização auxiliada.

Ao caso, era a sequência das fases da mitose:

Perto da Meta, a Ana Telefona – Profase – Metafase – Anafase e Telofase.

ou, em versão curta, PMAT.

Resolvo que este é um tópico eventualmente interessante, especialmente se quem por aqui passa, quiser partilhar mnemónicas de que se lembre….