18 – Escrita de estudantes* – de virtudes

“O amor existe. Sem a menor sombra de dúvida. Existe nos momentos em que se sonha acordado, com a realidade que se quer construir um dia.(…) Existe na coragem necessária para afastar o objecto do nosso amor, empurrando-o na luta pelos seus sonhos. Existe na força com que se escolhem as melhores palavras para esconder o desespero que a ausência provoca. Existe na loucura de dizer “adeus” quando se quer dizer “fica”. Existe na insanidade de confiar no outro como em nós mesmos. Existe na entrega total, de saltar sem rede, começando tudo de novo infinitas vezes. Existe na febre com que se diz “para sempre” na consciência das dificuldades do amanhã. (…)O amor existe. É vida.É onde tudo começa, onde nada termina.” PA

(* “rubrica” para excertos de trabalhos individuais de estudantes, de diversos níveis de ensino, que considero interessante partilhar, assegurando a reserva das fontes) (imagem daqui)

Anúncios

16 – Escrita de estudantes* – de virtudes

writing.gif“As pessoas podem nem sempre merecer respeito, contudo o respeito não é um prémio mas sim uma forma de comunicar e comprender (…) Podemos respeitar os outros sem necessariamente concordar com o que eles fazem ou dizem”. AA

(* “rubrica” para excertos de trabalhos individuais de estudantes, de diversos níveis de ensino, que considero interessante partilhar, assegurando a reserva das fontes) (imagem daqui)

15 – Escrita de estudantes* – de virtudes

“Quando agradecemos, o nosso coração descansa, a nossa mente aquieta-se, relaxamos, partilhamos sentimentos de pura satisfação, felicidade, amor. Ao despertar para a gratidão começamos a sentir-nos gratos por tudo… pelo ar que respiramos, por andarmos, por vermos, ouvirmos, falarmos, vivemos, por encontrarmos pessoas agradecidas… Até por encontrar pessoas ingratas” MP

* “rubrica” para excertos de trabalhos individuais de estudantes, de diversos níveis de ensino, que considero interessante partilhar, assegurando a reserva das fontes) (imagem daqui)

14 – Escrita de estudantes (*)


“Poderei eu ser responsável sem ser livre? Como posso ser responsável se não puder decidir os caminhos a percorrer?Como posso eu ser livre se as regras me obrigarem a seguir uma só direcção? Aí, talvez seja «fácil» ser responsável, porque nesse caso ser responsável é seguir o caminho assinalado, que é único e intransponível. Mas para decidir, para avaliar sobre uma decisão, preciso ser livre, livre de pensar e agir e livre para mim e de mim para os outros».
RS

* “rubrica” para excertos de trabalhos individuais de estudantes, de diversos níveis de ensino, que considero interessante partilhar, assegurando a reserva das fontes) (imagem daqui)

13 – Escrita de estudantes (*)


“Tenho aprendido que sou responsável pela minha formação e que ser um futuro profissional de saúde responsável e competente só depende de mim”
JB

* “rubrica” para excertos de trabalhos individuais de estudantes, de diversos níveis de ensino, que considero interessante partilhar, assegurando a reserva das fontes) (imagem daqui)

12- Escrita de estudantes (*)

«Aprendi, também, a responsabilizar-me pelo outro, a ser responsável pelo bem-estar de alguém. Visto nesta perspectiva, há dois tipos de responsabilidade. A responsabilidade que tenho pelos actos que pratico e a responsabilidade para com o outro, ou seja, a responsabilidade que tenho quando alguém está sob o meu cuidado”
TC

(* “rubrica” para excertos de trabalhos individuais de estudantes, de diversos níveis de ensino, que considero interessante partilhar, assegurando a reserva das fontes) (imagem daqui)